Publicado em 18/11/2008 as 12:00am

Limpeza sem tóxicos ganhando novos fãs

Sílvia Stelzer foi direto ao assunto: "Depois de um dia inteiro de trabalho, você deve se perguntar: 'Onde dói?' e marcar o local"

Por Miryam Wiley

 

Sílvia Stelzer foi direto ao assunto: “Depois de um dia inteiro de trabalho, você deve se perguntar: ‘Onde dói?’ e marcar o local”

Sílvia estava falando à quase 40 pessoas que passaram quatro horas no sábado num evento educativo da Cooperativa Vida Verde do Grupo Mulher Brasileira. Criada há dois anos com o objetivo de educar sobre alternativas não-tóxicas para a limpeza, Vida Verde ensina também sobre as questões de ergonometria --  postura correta para o trabalho, com ou sem o uso de equipamento --  e enfatiza a valorização pessoal de seus membros, que vão aos poucos adquirindo seus próprios “schedules” de casas.

Criada com uma verba do Instituto Nacional para a Segurança Ocupacional e Saúde, em inglês,  National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH), através da Universidade Tufts, a Vida Verde está em plena fase de expansão com uma nova verba do Instituto para a Redução dos Tóxicos, em inglês, Toxics Use Reduction Intitute, (TURI), da Universidade de Massachusetts, em Lowel. Vão ser criados um video e um livreto para tentar alcançar e motivar mais gente: “Se outras pessoas quiserem formar outros grupos, a gente ajuda,” disse Mônica Chianelli, criadora e líder da Cooperativa Vida Verde desde o início.

Membro da cooperativa e housecleaner há nove anos, Silvia contou que vai sempre aprendendo maneiras de se cuidar sem prejudicar o trabalho. “Preste atenção onde mais dói e aprenda a fazer os exercícios,” disse, enfatizando a importância das aulas de Pilates que foram oferecidas pelo Grupo Mulher Brasileira. “A gente usa o vacuum cleaner de forma totalmente errada,” explicou, demonstrando a seguir a melhor maneira de alcançar debaixo de móveis sem sobrecarregar as costas.

Por causa de uma reportagem especial veiculada recentemente no Planeta Brasil da TV Globo, o evento atraiu algumas pessoas que disseram estar apenas interessadas em aprender maneiras de ajudar a melhorar o meio-ambiente. Mas as maioria foi com interesse em aprender sobre produtos que limpam sem causar problemas à saúde.

Membros da cooperativa explicaram sobre os riscos causados pelo uso constante de químicos como o formaldeído, em inglês, formaldehyde, presente em vários produtos de limpeza comuns. Uma partipante falou de como sofre porque trabalha numa casa em que as pessoas nunca abrem as janelas ( sempre com medo de que possam entrar moscas), ciente de que os gases de produtos químicos usados na limpeza continuam no ar e afetam a todos, principalmente as crianças.

Sandra Gomes, membro da cooperativa, explicou que nunca se deve misturar dois produtos diferentes, porque os químicos podem causar uma reação tóxica muito perigosa. “Nunca misture amônia e cloro,” disse.  “O gás proveniente desta mistura é extremamente tóxico:  o gás cloramine.” Várias participantes se lembraram de momentos em que isso foi feito e chamaram a reação química de “criação de uma bomba.”  Elizabeth Braga chegou a dizer, “faço isso o tempo todo,”confessando em seguida que nunca soube que era problema.

O sucesso da cooperativa foi ouvido na voz dos membros:  “Desde o dia em que eu entrei pra cooperativa, minha vida mudou,” disse Ruth Alves. “Isso aqui é excelente,” disse Selcino de Oliveira, o único homen integrante da cooperativa. “Já trabalhei com produtos químicos, mas hoje só trabalho com produtos naturais. Quem falar que não limpa, eu desafio.”

Érica Rocha, outro membro da cooperativa, disse logo no início. “Eu tenho consciência do bem que eu estou fazendo até pro mundo. No início a gente fica assim, ‘será que limpa?’ Mas limpa mesmo.” Kênia Santiago --  integrante que vai passar para a liderança junto com Ruth Alves, porque Monica Chianelli está voltando para o Brasil --  falou que é tempo das faxineiras se organizarem: “Criar um sindicato de housecleaners está nas nossas mãos,” disse.

As apresentações do dia incluíram a confecção dos produtos caseiros para ensinar aos presentes sobre como fazê-lo, e também a excibição de um video com demonstração detalhada da limpeza. Por exemplo:  limpar um balcão de cozinha deve ser feito com o produto chamado “Fantastic,”  que contém sabão, mas o trabalho deve ser terminado com o produto chamado “Amazing,” que é também um excelente limpa-vidros. Ao todo, a Vida Verde desenvolveu cinco produtos, que cobrem todas as necessidades para limpezas de casa ou de prédios comerciais. Todas as receitas podem ser obtidas através de contato com a Vida Verde no Grupo Mulher Brasileira: www.verdeamarelo.org 

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)