Publicado em 20/11/2008 as 12:00am

MAPS na luta contra a violência doméstica

O jantar na Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) na recente Reunião Anual foi tudo menos tranqüilo

O jantar na Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) na recente Reunião Anual foi tudo menos tranqüilo. Apesar do bacalhau, da salada e do pudim, os membros desanimados tiveram que agüentar os constantes sons de gongos, sinos e apitos durante meia hora antes da reunião de negócios começar. Depois teve o misterioso varal cheio de camisetas penduradas num canto da frente do MAPS Cambridge Senior Center onde os membros se reuniram para o relatório de atividades anuais da agência de serviços sociais e de saúde e para as eleições.

O motivo se tornou claro quando Osvalda Rodrigues, Diretora de Serviços Familiares e Diretora do Escritório em Lowell da MAPS, subiu ao pódio após o jantar.

“Todo barulho ouvido do gongo, que ocorre a cada 10 segundos, simboliza uma mulher que apanhou em algum lugar do país,” ela explicou. “Toda vez que você ouve um apito, a cada minuto, representava uma mulher sendo estuprada. O sino que vocês ouvem, não tão freqüente, representa uma mulher sendo assassinada.” Mais de três mulheres são assassinadas todos os dias nos Estados Unidos em situações de violência doméstica de acordo com as estatísticas nacionais.

Osvalda Rodrigues e o pessoal dos programas da agência de Serviços de Violência Doméstica e Serviços de Apoio Familiar organizaram um show diferente nesse jantar para demonstrar graficamente como a violência doméstica está espalhada pelo país e para incentivar os membros dessa comunidade de língua portuguesa a tomar uma atitude sobre essa questão.

“Ela está a nossa volta, é muito real e dói,” ela disse. “É alarmante como as pessoas são afetadas.”

As camisetas no varal, ela explicou, faziam parte do duradouro Projeto Varal e foi iniciado em Cape Cod há muitos anos atrás e compartilhado com comunidades no país para divulgar o problema da violência doméstica.

“Cada camiseta é decorada para representar uma experiência individual de uma mulher que sofreu alguma violência,” disse Kate Lessard, Defensora da Prevenção de Violência Doméstica da região de Lowell da MAPS. As camisetas foram decoradas pelas sobreviventes bem como amigos e familiares das vítimas e pelas sobreviventes e expressam os efeitos da violência doméstica em palavras e desenhos.  “Dói o meu coração” estava escrito com tinta laranja em uma das camisas. Abaixo disto, a artista desenhou caras chorando com as palavras:  “ Gritos.  Desprezo.  Medo.  Vergonha.  Ameaças.  NUNCA MAIS.”  


 

Kate  Lessard e Osvalda Rodrigues iniciaram o Projeto Varal com camisetas – o primeiro para comunidade de língua portuguesa em Massachusetts  -  nas feiras mensais de saúde do Escritório de Lowell, e eles também levaram para outros locais da região para ajudar a  alarmar essas comunidades contra a violência doméstica. O programa deles está também iniciando um grupo de apoio às sobreviventes e trabalhando em um projeto para treinar os líderes religiosos da região da comunidade de língua portuguesa para identificar a violência doméstica e trabalhar com suas próprias comunidades para acabar com isso. Neste dia 2 de dezembro, mais de 30 pastores vão se reunir em algum lugar na região para falar sobre o assunto e estabelecer metas para lidar com isto.

Não existem estatísticas disponíveis no momento sobre violência doméstica na comunidade de língua portuguesa que inclua brasileiros, cabo-verdianos, portugueses e outras eis colônias portuguesas no mundo. Mas, com um número estimado de 800.000 a 1 milhão de pessoas que falam português somente em Massachusetts, só a quantidade de mulheres agredidas na comunidade que devem estar procurando ajuda pode ser maior do que o pequeno número de defensores que falam a língua delas e entendem sua cultura, de acordo com o Osvalda Rodrigues. Durante um período de 12 meses terminando em 30 de junho, um defensor de violência doméstica de meio-horário e dois de horário integral da MAPS juntos ajudaram 406 mulheres e 18 homens agredidos na grande Boston, Lowell, Framingham e regiões próximas.

“O que me motiva a trabalhar todos os dias é ver os rostos de desespero e sem esperança dos meus clientes quando chegam pela primeira vez na consulta e mais tarde se tornam rostos alegres e confiantes no futuro,” disse Martha Vasconcelos que supervisiona os Serviços de violência doméstica da região de Boston da MAPS. O pessoal do programa também inclui uma defensora cabo-verdiana que fala criolo, Dulce de Pinta, que trabalha no escritório de Dorchester da MAPS.

Trabalhando com a cooperação de outras organizações relacionada à violência doméstica como Jane Doe Inc., Rape Crisis Services da Grande Lowell, a Asian Task Force Against Domestic Violence, a Family Justice Center of Boston, e muitos abrigos da região e organizações de serviços, a MAPS ajudou milhares de mulheres a estabilizarem suas vidas  e ficarem livres de violência nos últimos 12 anos desde o início do programa. Os defensores ajudam os sobreviventes a obter ordem de restrição e assistência legal, encontrar abrigo, fazer planos de segurança e liga esses sobreviventes a qualquer outro serviço que eles precisem para mudar suas vidas. O programa é patrocinado pelo Mass. Dept. of Public Health, Mass. Executive Office of Public Safety, Mass. Department of Children and Families, a Family Justice Center of Boston, a Theodore Edson Parker Foundation e o TJX Foundation. 

Agora, Osvalda Rodrigues espera que as últimas atividades de treinamento e conhecimento levem a mensagem do programa para um nível maior e ative mudanças reais na visão da comunidade e nas reações sobre a violência domestica. “Se todos nós assumirmos um papel ativo, podemos fazer a diferença,” ela disse.

“Para maiores informações ou ajuda confidencial sobre violência doméstica na comunidade de língua portuguesa, por favor, ligue para Kate Lessard ou Osvalda Rodrigues no (978) 970-1250; Martha Vasconcellos no (617) 864-7600; ou Dulce de Pina no (617) 825-5897.

A MAPS é uma organização privada sem fins lucrativos que tem oferecido serviços sociais e de saúde para os membros da comunidade de língua portuguesa desde 1970. Para maiores informações, por favor, acesse o site  www.maps-inc.org.

Fonte: (MAPS)