Publicado em 23/11/2008 as 12:00am

Brasileiros são presos em ação conjunta do FBI e do ICE em Somerville-MA

Na noite de sexta ? feira, 21, polícia arrombou apartamento onde moravam 2 brasileiros acusados de falsificar documentos. Ação terminou com 6 detidos


Por Marcelo Zicker


A cidade de Somerville, em Massachusetts, foi o palco de mais uma ação encabeçada por agentes do Immigration and Customs Enforcement- ICE. Na sexta-feira, dia 21,  uma força-tarefa que reuniu o FBI, a ICE, a State Police e a Local Police terminou na detenção de 6 brasileiros em um apartamento situado na 36, Otis Street. Aproximadamente 30 policiais adentraram o recinto em ataque surpresa, arrombando as portas, e realizando a busca e apreensão de documentos. Os moradores foram imediatamente detidos.

A operação consistia na apreensão de um brasileiro conhecido como ‘Moranguinho’, que seria o ‘cabeça’ de um esquema de falsificação de documentos ( Social Security Numbers, Green Cards, Driver’s Licenses). O mineiro Danilo Melo  também foi identificado como parceiro de ‘Moranguinho’ no esquema e ficará preso até o julgamento do caso. Os outros 5 moradores da casa foram levados para a penitenciária de Boston, onde passaram a noite e realizaram exames, sendo liberados em seguida, com exceção de “Hazuc”, morador do apartamento que já tinha um mandado de deportação expedido há 3 anos, e que será mandado de volta ao Brasil. Por estarem em situação irregular no país, todos terão que comparecer à Corte em Janeiro.

 

Surpresa e revolta

“Eu morava com eles (‘Moranguinho’ e Danilo)  há algum tempo, e nunca tinha me passado pela cabeça que eles tinham um esquema de falsificação de documentos. Eu tomei um susto muito grande, nunca imaginava, eles nunca deram ‘pistas’ disso” afirma, F.R, um dos moradores que foram presos,  que prefere não se identificar. Ele ainda afirma que quando chegou ao prédio da imigração, ‘Moranguinho’ já estava prestando depoimento no local. “ Quando vimos ele preso lá, a primeira coisa que nos passou pela cabeça foi que ele teria nos ‘dedurado’. Senti um mixto de raiva e decepção” afirma, com ressentimento. Segundo F.R, a polícia chegou agindo com força e eles passaram muito frio durante a noite encarcerados. “ Foi horrível. Tivemos que fazer uma série de exames, passar por longos depoimentos e dormir numa cela fria , presos por algemas nos pés e nas mãos. Foi uma experiência péssima, principalmente porque não devíamos nada para a justiça, não fizemos nada de errado e acabamos passando por isso. Se eu soubesse que os dois mexiam com essas ‘coisas’ já teria saído há muito tempo daquela casa” relata.

 

Abordagem violenta

A equipe de reportagem do jornal Brazilian Times teve acesso ao apartamento invadido pela força-tarefa, e encontrou quartos completamente revirados, com roupas e documentos jogados, e placas de identificação por toda parte ( a polícia dividiu cada quarto por sessão). “ Eles chegaram arrombando a porta, subindo e gritando ‘polícia!’ ‘polícia!’ , e nos abordaram com rasteiras e pontapés. Fomos imediatamente algemados e colocados ao chão. Foi muito constrangedor como tudo ocorreu” afirma J.T, também morador, mostrando algumas das escoriações sofridas pela abordagem policial.

Mesmo com a liberação, ambos são taxativos ao afirmar que foi uma experiência que jamais será esquecida. “ Não desejo a cadeia para ninguém. Nem por uma noite, como foi o nosso caso. Fomos tratados como bandidos, temos essa marca que nos acompanhará por toda a vida. Não tem jeito de esquecer, ainda mais sabendo que somos inocentes, não deveriámos ter passado por isso” afirma J.T, lamentando o fato de ter ‘pagado’ pelo erro dos dois roomates.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times)