Publicado em 25/11/2008 as 12:00am

Machucados pela economia, trabalhadores esperam por Obama

Muitos imigrantes desistiram de voltar aos seus países de origem acreditando em mudanças positivas

Por Luciano Sodré

 

Apesar de pouco se comentar, os trabalhadores foram os mais afetados pelo duro impacto da crise econômica que se abateu sobre os Estados Unidos. A geração de emprego teve uma queda assustadora e registrou, até 15 de novembro, um aumento de 27 mil pedidos de auxílio-desemprego em todo o país.

Quando a crise começou a tomar proporções alarmantes e preocupantes, milhares de imigrantes trabalhadores, temendo o problema, iniciaram planos de retornarem aos seus países de origem. Assim foi com o amazonense Arinaldo Rodrigues, 37, que trabalha como dishwasher em um restaurante na cidade de Saugus, em Massachusetts.

Ele, que vive neste país há sete anos, disse que nunca viu nada parecido e que sempre tinha dinheiro guardado como fundo de reserva ou para enviar a parantes no Brasil. “Hoje eu vejo que alguma coisa mudou, pois apesar de estar recebendo o meu salário no dia certo, nunca estou com grana”, tenta entender a situação.

Rodrigues, assim como outros brasileiros, também estava fazendo as malas para retornar ao Brasil. É o caso da baiana Ayala Sena, 43, que comprou a passagem de volta marcada para o dia 14 de janeiro de 2008. Mas os planos dos dois foram interrompidos pela eleição do senador democrata, Barack Obama, que troxeu junto com a vitória, uma “mala de esperanças”.

Arinaldo disse que as esperanças no novo presidente conseguiram encobrir o medo da crise e, agora, “acredita em mudanças positivas”. Ele disse que já desmarcou a data de volta e vai esperar o andamento do novo governo para ver o que acontecerá. “Tenho certeza de que algo bom será feito para todos”, acrescenta.

Mas o que preocupa, a curto prazo, são os imigrantes afetados bruscamente pela crise, os quais foram demitidos ou as empresas onde trabalhavam abriram concordata. “Estas pessoas estão com o aluguel de seus apartamentos atrasados, com pouca comida em casa e algumas até passando extrema necessidade”, foi o que afirmou o Oscar Paredes, diretor do Latin American Workers Project, uma entidade sem fins lucrativos que luta pelos direitos dos imigrantes latinos. “Mas além dos imigrantes estarem sofrendo aqui nesta país, não podemos esquecer de que os parentes que estão nos países de origem também estão sentindo esta crise”, acrescenta.

Mesmo diante de todos os problemas, a vitória de Obama convenceu a maioria de que novos rumos podem surgir e “a esperança não morreu”.

Arinaldo disse que mesmo diante de toda a confiança que tem em Obama, ainda está preocupado, pois suas economias estão acabando. “As mudanças precisam acontecer logo”, conclui.

Fonte: (http://avozdoimigrante.wordpress.com)