Publicado em 28/12/2008 as 12:00am

Relatório denuncia descaso com imigrantes presos

Realizado por organização americana, o relatório afirma que, além de permanecem presos por um longo período até serem deportados, brasileiros indocumentados ainda sofrem com as más condições do cárcere

Por Marcelo Zicker

 

Líderes comunitários concordaram com  a principal conclusão de um relatório da realizado pela American Civil Liberties Union of Massachusetts, que concluiu que imigrantes detidos , e que deveriam ser deportados, permanecem muito tempo encarcerados.

O relatório, divulgado este mês, afirma que centenas de pessoas presas pela Imigração em Massachusetts passam meses e até anos presos enquanto  aguardam a deportação. Tal situação muitas vezes viola os direitos humanos básicos.

"Ele reflete o que está acontecendo nas prisões onde os imigrantes são detidos", disse Fausto da Rocha, diretor do Centro do Imigrante Brasileiro, situado em Allston - MA. "As pessoas têm que aguardar na prisão três semanas ou três meses e, por vezes, mais de seis meses" completa.

Queixa constante

O ativista Ilton Lisboa também tem a mesma opinião.  Sempre que as pessoas  ligam para ele pedindo ajuda para localizar parentes que tenham sido detidos por ICE, elas demonstram insatisfação pelo fato de seus entes queridos terem que passar um bom tempo atrás das grades antes de serem deportados. "Em média, elas esperam entre três ou quatro meses", disse Ilton. "Mas eles nunca sabem quando eles serão deportados. Isto cria uma grande ansiedade para os imigrantes e suas famílias" salienta.

Dados do relatório

Segundo o relatório, todos os dias cerca de 800 imigrantes são detidos e colocados em prisões por  violações imigratórias que, ao abrigo das leis americanas, não são consideradas criminosas.

Em outra constatação-chave, o relatório afirma que muitos imigrantes que não tem histórico criminoso são colocados em celas juntamente com figuras tidas como perigosas e que cometeram crimes graves. Fausto enxerga no fato, uma grande preocupação. "Muitos dos imigrantes que são colocados em prisão nunca foram a uma prisão no Brasil. Eles não são criminosos", disse ele.

Já Ilton afirma que a maioria dos detidos se sentem injustiçados por estarem compartilhando com a cela com criminosos. "Eles não vêem a si mesmos como criminosos", disse ele.

Atuação do consulado

Toda semana, a  ICE envia uma lista com todos os brasileiros detidos ao Consulado Brasileiro em Boston,  e todos os meses, um funcionário do consulado faz visitas a presídios e reúne-se com os detidos.

Mas, na opinião de Fausto, ‘ o consulado pode fazer um melhor trabalho na assistência aos detidos que também se queixam sobre a falta de cobertores e alimentos inadequados. Os detidos também relataram o comportamento abusivo por parte de alguns oficiais. Se eles se queixam publicamente,  são colocados em confinamento solitário’ , disse ele.  

O relatório, que levou 2 anos para ser concluído, também constatou que as prisões onde se encontram boa parte dos imigrantes detidos estão geralmente lotadas e em mau estado, com poucos banheiros e quartos para os detentos se reunirem com advogados, além da negativa de acesso à  cuidados médicos.

Intitulado "Detention and Deportation in the Age of ICE: Immigrants and Human Rights in Massachusetts," o relatório foi baseado em entrevistas com 40 detidos e centenas de documentos obtidos pela organização ao abrigo do Freedom of Information Act. O relatório pode ser encontrado em www.aclum.org / gelo.

Fonte: (Metro West Daily News)