Publicado em 5/01/2009 as 12:00am

Padre é inocentado e recebe apoio da comunidade em Framingham - MA

Cerca de 40 pessoas se reuniram em frente à Corte de Framingham na manhã de terça-feira, 3, em solidariedade ao padre Joe Pranzo

     Cerca de 40 pessoas se reuniram em frente à Corte de Framingham na manhã de terça-feira, 3, em solidariedade ao padre Joe Pranzo. O reverendo da igreja Saint Tarcisius, que tem grande número de fiéis brasileiros, foi acusado de agressão por Joe Rizoli quando o padre tentou impedir que ele e o irmão Jim filmassem uma reunião comunitária no último 6 de dezembro nas dependências da igreja. O juíz encerrou o caso por falta de provas.
 
     Durante a vigília, organizada pela Metropolitan Interfaith Congregations Acting for Hope (MICAH), os manifestantes falaram em direitos humanos e receberam o apoio de diversas lideranças religiosas e dos deputados Pam Richardson (Democrata de Framingham) e Tom Sannicandro (Democrata de Ashland). Diego Low, diretor da Casa do Trabalhador do MetroWest, observou que o movimento retrata a luta cotra o racismo e a discriminação.
 
     O padre Pranzo agradeceu a solidariedade da comunidade, mas não quis comentar a decisão. Já o advogado do reverendo, Beirne Lovely, disse que o veredito já era esperado. "Padre Panzo não cometeu qualquer ato contra Joe Rizoli", afirmou.
 
     Para Marcos Contreras, da MICHA, trata-se de um caso claro de abuso do sistema judiciário por parte da ideologia anti-imigrante dos Rizoli. "Eles atacaram um padre que luta contra a degradação do ser humano, princípio da igreja católica," disse em nota à imprensa.
    
      Depois da audiência, os Rizoli garantiram que vão continuar filmando eventos públicos. Eles são conhecidos pela postura anti-imigrante e usam as imagens em seu programa de TV que fala de imigração irregular. Em tempo: Essa não foi a primeira vez que eles foram convidados a se retirar da igreja. Em março de 2008, policiais escoltaram os irmãos para fora da paróquia enquanto acontecia um fórum de candidatos.


Fonte: (Helen Sinzker)