Publicado em 15/01/2009 as 12:00am

Caso Alexim - Tenente Paul Shastany orienta vítimas de transportadora

Recentes debates sobre o resgate de objetos enviados através de companhias de transportes motivou declarações públicas do Tenente

 

Por Elizabeth Simões


Na quarta-feira (14), o Tenente Paul Shastany , porta-voz da Polícia de Framingham (MA) falou com os ouvintes da rádio WSRO 650 AM, também de Framingham durante o programa “Conexão Brasil” comandado pelo radialista e ativista comunitário Ilton Lisboa,. O tema foi sobre como proceder nos casos de queixas contra empresas transportadoras acusadas de reter a entrega de caixas aos destinos programados. O radialista Ilton Lisboa mediou o show ao vivo e interpretou as respostas do tenente na língua portuguesa, bem como respondeu a inúmeras dúvidas dos ouvintes que ligaram para lá. O programa “Conexão Brasil” vai ao ar todas as quartas e quintas, no horário de 7:00 às 8:00 PM.

Conforme Shastany, todas as pessoas que se sentirem prejudicadas, ameaçadas ou que sofreram por qualquer outro problema em razão de pessoas que agiram de má-fé, devem procurar o departamento de polícia para obterem serviços gratuitos na solução dos conflitos. “Procurar a corte, pode ser uma das medidas apropriadas, mas poderia ser importante também que todas as informações  dessas pessoas sejam documentadas pela polícia”, disse o tenente.

Na sequência, o tenente esclareceu o que acontecerá à vítima que procurar a assistência policial , “nós iremos encaminhá-la para o escritório da corte ou para outros departamentos oficiais do governo. Com os dados da reclamação em mãos, o governo terá condições de reunir os casos de infração contra os indivíduos e mover uma ação legal”.   

Ele também sugeriu que, quem estiver com dúvidas a respeito da natureza da denúncia, (criminal/judicial), e o setor encarregado pela recepção dela, poderá contatar o departamento de polícia de sua cidade, para consultar qual é a autoridade competente que irá se encarregar do problema. “O importante disso tudo é que na comunidade, talvez, possam haver pessoas que queiram cobrar por esse serviço gratuito que nós oferecemos. Então por que não tirar proveito do atendimento grátis? Indagou o tenente e concluiu “Nós estamos sempre abertos para ouvir, encaminhar e aconselhar”. 

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )