Publicado em 2/02/2009 as 12:00am

ICE evitou detenção de imigrantes indocumentados na época da eleição

Durante poucos dias no ano passado, as autoridades americanas afrouxaram a perseguição aos imigrantes no país

Durante poucos dias no ano passado, as autoridades americanas afrouxaram a perseguição aos imigrantes no país. Por determinação da Casa Branca, uma medida inusitada foi adotada no final da administração passada: os agentes federais de imigração só poderiam efetuar a prisão de indocumentados com determinação superior. Segundo a cúpula do Departamento de Segurança Interna (Homeland Security Department), a iniciativa de Bush ficou efetiva por apenas alguns dias, na época da eleição de novembro de 2008 nos Estados Unidos. As autoridades temiam que as detenções indiscriminadas provocassem impacto negativo na mídia num período em que os olhos do mundo estavam voltados para a América e para a possibilidade de o primeiro negro ser escolhido o primeiro presidente do país.

A diretiva de Bush, de acordo com fontes da Casa Branca, teria sinais de que uma das preocupações do Governo seria com a eventual detenção da queniana Zeituni Onyango, tia do então candidato Barack Obama, que vivia sem documentos e de forma ilegal em Boston - atualmente acredita-se que ela está em Cleveland, depois de ter participado da cerimônia de posse do sobrinho, em Washington DC. Há quatro anos ela recebeu ordem de deportação de um juiz de imigração depois que seu pedido de asilo foi negado. Era, portanto, uma fugitiva, de acordo com as leis dos EUA.

Obama defendeu o cumprimento da lei em relação ao caso da tia, mas Onyango, de 56 anos, declarou que quer permanecer nos EUA e tem o desejo de lutar contra a deportação. A próxima audiência está marcada para abril.

É bem verdade que a iniciativa das autoridades federais, que recebeu o nome de “Fugitive Case File Vetting Prior to Arrest”, não faz qualquer menção ao então candidato Obama ou a outro membro de sua família. Mas a diretiva foi distribuída às agências federais de imigração justamente no dia em que a imprensa divulgou o caso de Zeituni Onyango. O assunto só veio à tona esta semana e a porta-voz do Departamento de Segurança Interna, Kelly Nantel, confirmou que a medida já não está efetiva, depois de dizer o contrário à um jornalista da Associated Press.

Membros da equipe de Obama na Casa Branca afirmaram que desconheciam tal medida e alguns dos assessores do atual presidente limitaram-se a dizer que qualquer medida da administração anterior “será analisada e revogada, se não atender aos interesses do povo americano”.

É difícil avaliar qual o impacto que a iniciativa de Bush teve nas equipes do ICE em todo o país. No entanto, na página da polícia de imigração na Internet (www.ice.gov) não há registro ou notícia de qualquer operação entre os dias 31 de outubro e 16 de novembro de 2008, período em que supostamente a diretiva esteve efetiva.

Fonte: (acheiUSA)