Publicado em 10/02/2009 as 12:00am

Indocumentado é preso com prostituta em Lousiana

Um homem identificado por Dionício Quiroz, 25 anos, foi preso na noite de sábado (07) sob acusação de estar incentivando a prostituição

Um homem identificado por Dionício Quiroz, 25 anos, foi preso na noite de sábado (07) sob acusação de estar incentivando a prostituição. Segundo as informações fornecidas pelo departamento de polícia estadual de Louisiana, junto com ele estava uma mulher, supostamente prostituta.

Dionício, que é imigrante ilegal, confessou que entrou para ela a quantia de $100.00 em troca de sexo. Ao checarem a documentação, os policiais perceberam que ele é um imigrante ilegal. Ele foi preso e terá que pagar uma fiança de $500.00 para responder em liberdade.

 

Projeto no Mississipi visa conter imigração ilegal

Algumas lideranças políticas do Mississipi estão tentando criar um projeto que venha conter a invasão de imigrantes ilegais no estado. Segundo pesquisas recentes, o local tem sido um dos pontos mais visados por trabalhadores indocumentados e um dos primeiros pontos deste projeto é encontrar um meio de evitar que os empregadores contratem pessoas com documentação falsa.

O projeto que já está em trâmite no Senado, prevê, também uma punição mais rígida aos imigrantes que forem pegos criando ou utlizando documentos falsos.

Atualmente uma pessoa que se enquadra neste crime pode pegar até mais de três anos de cadeia com fiança de $5 mil. Neste novo projeto a multa sobe para $10 mil e mais de 10 anos de prisão.

Também está incluso no projeto, uma pena maior para quem transportar e proteger um imigrante ilegal, mas com isenção de igrejas e alguns outros órgãos.

Outro ponto é a solicitação do Governo Federal para treinar policiais do estado, para que fiquem áptos a lidar com imigrantes ilegais. O número deste projeto é 2144.

 

Denúncia leva a prisão de 28 imigrantes

Eles foram encontrados em uma casa na cidade de Phoenix

Os policiais de fronteira, que monitoram a divisa do México como o estado do Arizona, Estados Unidos, encontraram, dia 7, 28 pessoas escondidas em uma casa. Elas estavam entrando no país ilegalmente.

A prisão aconteceu devido à uma denúncia de um vizinho do local onde todos estavam. Segundo o tenente Michael Rivera, do departamento de polícia da cidade, disse que no momento da prisão, a polícia cercou toda o local, para evitar que houvesse tentativa de fuga.

Ao entrarem na casa, os policiais encontraram 20 homens, sete mulheres e uma menina de quatro anos de idade. Também foram encontrados algumas pistolas de calibre não informado. Todos os 28 imigrantes foram presos e estão sob custódia do Immigratrion and Customs Enforcement-ICE.

 

I-80, em Nebraska, na mira da polícia

A rota Interestadual 80, a partir do condado de York, está sendo palco de algumas prisões e já vem sendo considerado pela polícia local como um caminho para o crime. Somente nesta semana foram presos três pessoas por porte de cocaína e duas por serem imigrantes ilegais.

No relatório de uma das prisões, o policial redigiu que interceptou um veículo Nissan por excesso de velociadade e ao abordar o condutor, percebeu que entre as suas pernas (do motorista) havia um pequeno pedaço de saco plástico com alguma substância branca dentro.

Imediatamente ele soliticou que o motorista, identificado por Gregório Castro-Diaz, saisse do veículo e colocasse as mãos na cabeça. Ao averiguar o conteúdo do saco, o policial constatou que se tratava de cocaína.

Gregório confessou que realmente era a droga e que a havia comprado no estado de Uthan e que iria usá-la durante a viagem. Imediatamente recebeu voz de prisão e encontra-se na cadeia do Condado de York. Dois passageiros que estavam com ele no veículo, Mercelo Gomez-Hernandez e Aurora Perez-Juarez, foram presos sob suspeitas de serem imigrantes ilegais. Ambos já estão sob custódia de agentes do Immigration and Customs Enforcement-ICE de Nebraska.

 

Campanha visa aproximar policiais e imigrantes

Alguns funcionários governamentais de Washington D.C. estão empunhando uma campanha que visa acalmar os imigrantes ilegais da região e apagar definitivamente o medo que eles têm da polícia.

Intitulada de “Ligue 991” a campanha inclui reuniões onde policiais e lideranças comunitárias tentarão deixar claro a importância de que as pessoas podem chamar o número de emergência, independente de seu status migratório no país.

A campanha teve início em uma vigília realizada na sexta-feira em prol de José Sanchez que foi atacado em um bairro local e ficou sem receber ajuda durante 20 minutos na calçada. Ele morreu devido a uma lesão cerebral.

O caso está difícil de resolver porque maioria das testemunhas é imigrante ilegal e temem dar informações ou qualquer outro contato com a polícia. Daí a importância da campanha.

 

Fonte: (Da redação)