Publicado em 23/02/2009 as 12:00am

Vítimas de violência doméstica buscam apoio na MAPS

Os cantores Chris Brown e Rihanna foram notícia recentemente, mas não por causa de suas músicas. Brown foi preso sob a acusação de ameaça

Os cantores Chris Brown e Rihanna foram notícia recentemente, mas não por causa de suas músicas. Brown foi preso sob a acusação de ameaça. Ele teria agredido a namorada Rihanna, que cancelou alguns shows. Esse é só mais um escândalo de abuso entre celebridades, mas milhões de pessoas menos conhecidas também sofrem com a violência doméstica.

Superar as barreiras do medo e da vergonha nem sempre é fácil. Mas quando se trata de violência doméstica, essa pode ser a única saída. Quem sofreu abuso ou ainda está sob ameaça deve deixar o temor de lado e procurar ajuda, a fim de proteger a própria vida. E, para quem fala o idioma português, a Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS) oferece o apoio necessário.

“A violência doméstica tem origem numa idéia de poder que uma pessoa acredita ter sobre outra”, afirma Martha Vasconcellos, supervisora do Programa de Violência Doméstica no escritório da MAPS em Cambridge. “As feridas não estão só sobre o corpo; marcam fundo no coração”.

A violência doméstica não precisa ser física ou sexual. Agressões verbais, chantagens emocionais ou até o controle sobre o dinheiro do parceiro acontecem com frequência. Nas comunidades imigrantes, também é comum ameaçar entregar o parceiro para os agentes da Imigração.

A violência doméstica faz centenas de vítimas, todos os anos. Em 2008, pelo menos 25 pessoas morreram só em Massachusetts por problemas desse tipo. No ano de 2007 houve um recorde ainda pior: 42 mortos. Muitas outras pessoas ficaram feridas e um grande número de vítimas vai continuar desconhecido, porque elas não denunciaram seus agressores.

Na MAPS, brasileiros, cabo-verdeanos, portugueses e outras vítimas encontram apoio, informação, encaminhamento para os serviços adequados, acompanhamento no processo e aconselhamento. A equipe do programa ajuda as vítimas, inclusive, a obterem uma ordem de proteção legal. “Nossa primeira missão é ajudar as vítimas a ficarem seguras, mas estamos sempre voltados para a recuperação da auto-confiança e auto-estima delas,” diz Martha.

A maioria das vítimas são mulheres, mas alguns homens também sofrem abusos, seja em relações heterossexuais ou entre pessoas do mesmo sexo.

A MAPS oferece apoio contra violência doméstica em três escritórios: em Cambridge, no número 1046 da Cambridge Street, telefone (617) 864-600; em Lowell, no número 11 da Mill Street, telefone (978) 970-1250; e em Dorchester, na One Stoughton Street, número (617) 825-5897.

A entidade é uma organização privada sem fins lucrativos, com seis escritórios na grande Boston, Framingham e Lowell, que oferece serviços sociais e de saúde à comunidade de língua portuguesa desde 1970. Mais informações no site www.maps-inc.org.

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )