Publicado em 6/03/2009 as 12:00am

Brasileiro relata experiência na Guarda Nacional americana

O paraibano Odilon Rodrigues, que há 2 anos pertence à Guarda Nacional de Massachusetts, incentiva imigrantes residentes a alistarem, e relata sua experiência

Por Marcelo Zicker

 

 

Em meio à conflitos no Oriente Médio e a guerra do Iraque, muito se especula sobre o risco de se alistar ao Exército ou a Guarda Nacional americana. A possibilidade de ser mandado para bases militares no Iraque e em países com tensões diplomáticas, afastam do imigrante e do próprio americano, o desejo de vestir a farda dos EUA.

Pouco se sabe porém, que a Guarda Nacional americana, assim como a dos demais países do mundo, conta com inúmeros postos de trabalho, que não necessariamente constituem um risco à vida dos alistados .

 

Representante brasileiro

 

Um bem-sucedido exemplo é do paraibano Odilon Rodrigues, que há 2 anos atua como assistente de dentista da Guarda Nacional de Massachusetts. Ele afirma que a idéia de se alistar surgiu de repente em sua vida. “ Um dia vi uma propaganda do exército declarando inúmeros benéficios para quem se alistasse. O que mais me chamou a atenção foi o fato de prometerem o financiamento do College, algo que definitivamente me motivou a procurar mais informações” explica. Odilon, que na época já estava na condição de residente permanente no país, enxergou ali, uma oportunidade para ascender profissionalmente. “ Quando procurei informações, conheci muitas pessoas que esclareceram para mim que o exército era mais do que simplesmente defender o país numa guerra. Pertecer à guarda nacional é representar e zelar pela paz e ordem nacional. É estar preparado e alerta para defender os valores desse país com liderança ” completa Odilon, que há 9 anos reside nos EUA.

 

Guerra do Iraque

 

Sobre a possibilidade de ir para o Iraque, Odilon é realista e assertivo. “ É claro que posso ser chamado para ir ao Iraque, mas não existe essa tensão toda que é mostrada nos noticiários. Caso seja recrutado, irei orgulhosamente com a intenção de fazer o meu melhor” responde à questão polêmica. 

 

Primeira missão

 
Recém-chegado de sua primeira missão fora dos EUA, Odilon afirma que a satisfação pessoal ao participar de uma missão de ajuda e paz, é o fio condutor da identificação com a profissão e da satisfação pessoal em realizá-la. “ Fomos para o Paraguai, numa pequena cidade chamada Capitán Meza, situada ao sul do país, e a missão consistiu numa ação conjunta da guarda nacional de Massachusetts e das forças armadas do Paraguai. Aproximadamente 80 profissionais, entre médicos e dentistas, realizaram exames e procedimentos gratuitos para a população carente do lugar, criando um elo humanitário, de solidariedade” conta. “ Muitas pessoas acreditam que pertecer à Guarda Nacional se limita somente a ir para a guerra e fazer treinamento com armas, e é mais do que isso, a missão realizada no Paraguai foi um exemplo da nossa atuação em outras frentes de ajuda” salienta o paraibano. 
 

 

Informações

Para quem quiser mais informações, Odilon disponibiliza seu contato para eventuais dúvidas e informações acerca do processo de alistamento. O telefone de contato é (617) 967 – 2666.

 
 
Incentivo para novos brasileiros 
 
Sobre as possibilidades de um imigrante se alistar na Guarda Nacional americana, ele frisa pontos importantes, incentivando que outros brasileiros também procurem se informar mais a respeito acerca do processo. “ Atualmente é impretérivel que o candidato seja um residente permanente. Existem planos de extender essa condição aos imigrantes que estão há mais de 2 anos residindo no país legalmente, mas segundo a atual lei, é necessário ser cidadão ou ter o Green Card para se alistar” esclarece. Entre outros requisitos para pertencer à Guarda Nacional, estão ter entre 17 e 41 anos, estar em boas condições de saúde, e ter completado ou estar em processo de término de, no mínimo, o segundo grau escolar.
“ Os brasileiros por exemplo, podem ser mandados para bases militares ou embaixadas no mundo todo, sendo que até o Brasil é um possibilidade real. Além disso, caso tenha curso superior, podem ser contratados para cargos de dentista, médico-geral, enfermeiro, além de áreas administrativas. Há muitas possibilidades” recomenda Odilon.

 

Benefícios de vestir a farda

 

Entre alguns dos benefícios em pertencer à Guarda Nacional Americana estão  : 
 
- Rápido processo de obtenção de cidadania e sem custos de taxas 
- Remunerações bônus que chegam a $20 mil dólares dependendo da posição por ano
- Treinamento remunerado em mais de 200 posições
- Plano de saúde gratuito
- Plano de aposentadoria
- Financiamento para o College
- Respeito frente à sociedade americana
 

Fonte: (ANBT - Agência de Notícias Brazilian Times )