Publicado em 11/03/2009 as 12:00am

Brasileiro é escolhido um dos melhores estudantes dos EUA

Vencedor de 3 competições acadêmicas, o brasileiro Rafael Juliano Bento está entre os 20 melhores estudantes de todo os EUA

 

 

Por Marcelo Zicker

 

 

Em uma história marcada por muita perseverança e vontade de vencer, o mineiro Rafael Juliano Bento ( também Rafael Bento Juliano) , é um exemplo para muitos brasileiros que um dia almejam adentrar o ramo acadêmico. Há 12 anos residindo nos EUA, atualmente ele é considerado um dos melhores alunos universitários dos EUA, tendo recebido várias congratulações e prêmios.

 

Diversas premiações

 

Cursando Filosofia na Bergen Community College em Paramus, New Jersey, Rafael Juliano está vivenciando um dos melhores anos da sua vida . Em 2009, após ser empossado como um dos presidentes de uma organização conhecida como ‘Sociedade de Honra’ ( onde estão os 12 melhores alunos entre os estados de Delaware, Pennsylvania, Maryland, e New Jersey),   ele foi agraciado com 3 prêmios em competições acadêmicas. “  Primeiramente ganhei o Phi Theta Kappa Coca-Cola Gold Scholar, no qual foi o único entre 14 mil estudantes da minha universidade a ser escolhido para concorrer com instiuições de todo o país.  Em seguida, veio o 2009 Phi Theta Kappa New Century Scholar, onde foi o escolhido um representante de cada estado, e no qual representei New Jersey. Após isso, ainda participei do 2009 Guistwhite Scholar, onde se escolhe os melhores estudantes dos EUA. Fiquei entre os 20 melhores” relata o dedicado brasileiro.


Discriminação como imigrante

 

Em 1997, Rafael desembarcou nos EUA, com sua família, com o objetivo de conseguir uma vida melhor. “ Meus pais vieram com o objetivo de proporcionar um futuro para mim e meus irmãos. Hoje minha família, que felismente já está devidamente legalizada no país, está podendo desfrutar de uma vida muito melhor. Foi uma trajetória com muitas pedras no caminho, mas pelo fato de nunca ter desistido dos meus objetivos, das minhas metas, hoje me sinto vitorioso” afirma o estudante. Entre os problemas que enfrentou ao longo de todos esses anos, ele afirma ter sido vítima de alguns casos de discriminação, por se tratar de um estrangeiro. “Preconceito e  discriminação é parte, na minha opinião, da vida de quase todo imigrante nos Estados Unidos.  A discriminação que eu sofri nao foi da instituiçãoo em si; mais como em qualquer outro caso de preconceito, eu simplesmente nao me deixei ser vitima.  Isso significa que eu dei queixa quando necessário, e quando pediram desculpa, aceitei a desculpa e nao toquei mais no assunto.  Como imigrante, nao quero cair na cilada de me fazer de vítima - sou completamente contra o cenário de ‘coitadinho’, temos que nos impor como estrangeiros” relata.

 

Exemplo para novas revelações

 

Segundo ele, o seu exemplo pode influenciar outros brasileiros a persistirem pelo sucesso, seja ele acadêmico ou não. “ Quando eu cheguei aos EUA, eu não sabia nada de inglês, e hoje, esses prêmios me colocam como o melhor aluno de New Jersey, e acima de outros Estados também.  Isso significa que se  eu sou capaz, outros brasileiros também são.  Tenha um alvo, e caminhe com gentileza, sempre agradecendo quem lhe ajuda, humildemente,  mais sem perder a confiança em si próprio.  Esqueça do que o “típico americano” faz, e se lhe pedirem algo, faça sempre além do necessário.  E o mais importante:  nao esqueça que prêmios, dinheiro e fama, são produtos de uma vida constantemente batalhadora na corrida por um sonho.Não deixe nada impedir você de atingi-lo” recomenda Rafael, que além de medalhas, troféus e certificados, acumula mais de $8.500 em premiações acadêmicas.

 


Fonte: ABTN)