Publicado em 26/03/2009 as 12:00am

Brasileiro é torturado por dono de Pizzaria em Tyngsboro - MA

Lucio Oliveira, gerente da pizzaria Angela´s em Tyngsboro, foi acuado no canto do restaurante pelo patrão, Eric Sideri e seu administrador, Alfred Guevara, que o algemaram, bateram nele com um taco de baseball

 

Lucio Oliveira, gerente da pizzaria Angela´s em Tyngsboro, foi acuado no canto do restaurante pelo patrão, Eric Sideri e seu administrador, Alfred Guevara, que o algemaram, bateram nele com um taco de baseball, enfiaram uma arma em sua boca e o ameaçaram de morte. Eric gritava com Lucio: “Onde está o meu dinheiro?”

Eric Sideri, dono da Pizzaria Angela´s e patrão de Lucio, está preso sem direito a fiança, depois da audiência realizada na corte de Lowell. As acusações são várias: seqüestro com intenção de atacar fisicamente, invasão de privacidade, ataque munido de arma de fogo e tortura com ameaça de morte.

Alfred Guevara, que foi gerente de outra Angela´s Pizzaria em Saugus, também de propriedade de Eric Sideri, foi testemunha ocular e esteve presente aos ataques, realizados no último sábado no Angela´s de Tyngsboro, logo após o fechamento do restaurante.

 

Promotora disse que Lucio foi torturado

Marisa Tagliareni, promotora, afirmou à corte que Eric teria dito, repetidas vezes durante o ataque à Lucio, que “ Isso pode levar um minuto ou a noite inteira” e também a frase “Vou te matar e ninguém ficará sabendo”.

De acordo com documentos arquivados na corte sobre o depoimento de Lucio, os dois piores momentos da tortura pela qual passou foram:

*Quando Sideri teria mostrado duas armas a Lucio, antes de enfiar uma delas em sua boca e declarar: “Isso vai fazer seus miolos explodirem”.

*Ainda algemado, Lucio foi levado para os fundos do restaurante, quando Eric lhe mostrou uma camionete SUV com a porta do bagageiro aberto e cheio de sacos de lixo. Eric, então teria dito “Vou matá-lo e ninguém ficará sabendo”.

Depois, Eric pegou as chaves do carro de Lucio e levou-o para outro local, dizendo: “Agora ninguém saberá que você estava no restaurante”.

 

Lucio teve sorte e conseguiu salvar-se das garras do seu algoz

Após ter batido em Lucio repetidas vezes com um taco de baseball, Eric quebrou (o taco) no meio e usou a parte quebrada para enfiá-la na boca de Lucio, cortando seu lábio superior.

Finalmente, o patrão permitiu que Lucio falasse duas vezes ao telefone com sua namorada, deu-lhe uma toalha para passar em suas feridas e deixou que fosse embora.

Lucio Oliveira, então, fugiu por um bosque próximo, foi a uma loja de conveniências e ligou para sua namorada, que foi buscá-lo e levou-o para um hospital em Nashua, para tratar suas feridas.

A promotora Tagliareni disse à corte que “ainda com medo de perder sua vida, Lucio deu parte à polícia de Tyngsboro no dia seguinte”.  

O advogado de Eric Sideri, Russel Channen, disse ao juiz que seu cliente atacou Lucio em defesa própria, durante um breve confronto físico, depois que Sideri acusou Oliveira do roubo dos 20 mil dólares e afirmou ainda que Lucio estaria inventando toda essa história de seqüestro e ataque físico

“para neutralizar a acusação de roubo que meu cliente apresentará contra ele”.

 

Lucio Oliveira daria qualquer coisa para não ser torturado

Segundo informações colhidas durante a apresentação do promotor e os registros da polícia, em momento algum Lucio admitiu ter roubado o dinheiro de Eric. Entretanto, o brasileiro afirmou à polícia que, durante o tempo em que esteve sobre regime de tortura pelos dois homens, ele prometeu que  “qualquer coisa que eles quisessem, ele os daria”, inclusive ofereceu-se em vender o carro da namorada e contatar seus amigos brasileiros no sentido de conseguir o dinheiro pedido por Eric.

Depois de entrevistar Lucio Oliveira, a polícia de Tyngsboro determinou que havia causa suficiente e pediu ao distrito de Middlesex que emitisse os pedidos de busca e apreensão (search warrants).  A polícia de North Andover prendeu Sideri no último domingo por volta das 9 da noite. O chefe de polícia de Tyngsboro, Richard Burrows, disse que o outro suspeito, Guevara, estava sendo procurado para questionamentos, mas ainda não estava sob custódia.

 

CSI fez a perícia no local do crime e na casa de Eric

O pessoal técnico do CSI fez buscas no restaurante e na casa de Eric, buscando as provas necessárias para incriminá-lo. De acordo com pedido da promotora Tagliareni, até os sapatos de Eric foram requisitados pela perícia como prova do crime.

Amigos e clientes de Eric Sideri também se manifestaram, como o gerente de assuntos comunitários Kevin O´Connor, que o conhece (e ao Alfred Guevara) desde a inauguração da Angela´s Pizzaria em novembro do ano passado e afirmou estar chocado com a prisão de Eric. “Os dois são muito educados e cordiais e acredito que será necessário obtermos mais informações; enquanto isso, todos devem ser considerados inocentes.”

Fonte: (Da redação - Tradução de Phydias Barbosa )