Publicado em 29/05/2009 as 12:00am

Brasileira ganha processo contra ameaça de morte em Plymouth - MA

Após vender salão de beleza em Plymouth ? MA, a brasileira Elza Leuken foi surpreendida com acusações de agressão e ameaça de morte por parte dos compradores

 

Após vender salão de beleza em Plymouth – MA, a brasileira Elza Leuken  foi surpreendida com acusações de agressão e ameaça de morte por parte dos compradores. No dia 14 de Maio, a Côrte da cidade deu ganho de causa à brasileira

Em março desse ano, o Brazilian Times divulgou o pesadelo pelo qual a brasileira Elza Leuken passou ao vender um salão de beleza do qual era proprietaria há 7 anos. Ao vender a propriedade para um casal de empresários, ela se viu envolvida em um arsenal de acusações, que iam desde agressões físicas ao casal a até mesmo ameaças de morte. No dia 14 de Maio, ela teve ganho de caso no episódio.

 

Alívio e sensação de justiça


Para Elza, o resultado da Côrte apenas confirmou que as acusações não tinham veracidade embora os danos morais ainda permaneçam. “ Foi um fato de muita tristeza para mim e pra minha família. Mexeu com minha moral, minha ética, meus princípios. Eu nunca pensei que um dia passaria por isso. Felizmente a justiça foi correta, e confirmou essa farsa” relata.

 

Punição aos acusadores


Aprovada por unanimidade no julgamento, a inocência de Elza comoveu a empresária, que se diz orgulhosa do sistema judiciário americano. “ Eu não me aguentei em lágrimas. Eles tinham muita força política, pagaram um advogado caro. Essa foi a prova que nesse país a justiça funciona” . Sobre os prejuízos pessoais e financeiros durante o imbróglio, Elza afirma que recorrer para reaver uma retratação e punição aos acusadores. “ Vou entrar com um processo de danos morais. Tive muitos gastos e problemas financeiros para poder provar minha inocência. Agora eles vão ter que pagar por isso” desabafa.

 

Relembrando o caso


Aberto em 2002, o “Styllus Hair Salon” em Plymouth - MA, sempre se manteve como um bem-sucedido negócio, com ampla clientela e alta lucratividade.  Em 2007, cansada da vida ‘na américa’, Elza resolve que era hora de partir. “ Eu estava exausta de trabalhar 12 horas por dia, 7 dias por semana. Queria a todo custo voltar para o Brasil e, por isso, decidi vender o salão” contou ao Brazilian Times à época do fato. Após anunciar numa publicação local, um casal de  compradores logo se mostrou interessado no negócio. “ Eles logo chegaram com uma proposta de contrato. Como eu não sabia bem inglês na época, meu filho traduziu as cláusulas do contrato para mim. Na época, não encontramos nenhum problema e decidimos fechar negócio”. Um ano após a realização do negócio, Elza foi surpreendida com uma carta do advogado do casal, na qual se afirmava que o contrato continha um erro passível de multa contratual. Em uma das cláusulas, estaria exposto que a proprietária cederia não só a empresa , como também sua licença profissional, algo intransponível e que automaticamente caracterizaria como ilegítimo o acordo.  Além disso, Elza  sofreu acusações de agressões físicas e ameaça de morte. “ Não entendo o porque de tanto ódio” desabafou.

 

 

Manchete

Brasileira acusada de ameaça de morte contra casal é inocentada

Após vender salão de beleza em Plymouth – MA, a brasileira Elza Leuken  foi surpreendida com acusações de agressão e ameaça de morte por parte dos compradores. No dia 14 de Maio, a Côrte da cidade deu ganho de causa à brasileira.

Para Elza, o resultado da Côrte apenas confirmou que as acusações não tinham veracidade embora os danos morais ainda permaneçam. “ Foi um fato de muita tristeza para mim e pra minha família. Mexeu com minha moral, minha ética, meus princípios. Eu nunca pensei que um dia passaria por isso. Felizmente a justiça foi correta, e confirmou essa farsa” relata.

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)