Publicado em 5/06/2009 as 12:00am

Polícia de Framingham - MA dá prêmio a brasileiro

O Departamento de Polícia de Framingham concedeu em maio ao radialista Ilton Lisboa um prêmio pela qualidade de seus serviços prestados à comunidade

 

O Departamento de Polícia de Framingham concedeu em maio ao radialista Ilton Lisboa um prêmio pela qualidade de seus serviços prestados à comunidade e por considerá-lo o maior ponto de ligação entre os imigrantes brasileiros e as autoridades da cidade. Para a polícia, o bom momento vivido na relação entre as duas partes se deve ao ‘esforço de Lisboa’, que se infiltra entre os homenageados de 2009 pela delegacia e se destaca por ser civil e estrangeiro.

O Award da Polícia de Framingham geralmente é concedido a policiais que atingem o status de herói, ex-combatentes e políticos ligados diretamente ao desenvolvimento da cidade. Na premiação de maio, ao lado de Lisboa, estava o policial Phil Hurton, de 32 anos, que foi baleado este ano durante uma operação policial e recebeu o prêmio Coração Roxo, dado a oficiais que sofrem ferimentos sérios quando estão em serviço.

A polícia avaliou o trabalho de Lisboa através do programa de rádio do brasileiro, o Conexão Brasil, na 650 AM, onde ele ajuda as pessoas e tenta resgatar a qualidade de vida dos ouvintes. “O que faço é dar às pessoas um esclarecimento oficial sobre os assuntos que estão em voga na nossa sociedade”, afirma Lisboa.

Uma das ações avaliadas pela polícia para dar o prêmio foi a intervenção de Lisboa num caso de violência doméstica. Uma brasileira ligou para o rádio e disse que precisava de socorro, mas não poderia falar no ar. Lisboa deu a ela o número de seu telefone celular e colocou uma música para ouvi-la. A mulher estava apanhando do marido e a polícia foi acionada por ele. O homem foi preso em flagrante.

A polícia julga que muitos problemas foram evitados na comunidade com a participação das autoridades no Conexão Brasil. “É um canal que usamos constantemente”, disse o chefe da FPD, Steven Carl.

O programa abre espaços para autoridades irem falar diretamente com os brasileiros, que podem participar mesmo sem se identificar. Assim, Lisboa deu voz para policiais, senadores e até mesmo para o diretor do Serviço de Imigração da Nova Inglaterra, Bruce Foucart, que falaram diretamente com os brasileiros.

“Minha intenção é que as pessoas fiquem informadas. Por isso, acho imprescindível que a imprensa participe do meu programa. Assim teremos uma sociedade mais justa”, disse Lisboa.

Há 21 anos morando nos Estados Unidos e há 20 trabalhando na mesma empresa (Lisboa é gerente da agência Marlboro da Sodexo, maior empresa de ‘food service’do mundo), o mineiro de Almenara tem uma trajetória marcada por lutas.

Nos anos 70, em plena ditadura militar no Brasil, Lisboa largou o Serviço de Inteligência da Força Aérea e ingressou na vida sindical através dos bancos e metalúrgicas onde trabalhou. “Participei de passeatas e lutei por um país livre. Minha saída da Força Aérea se deu por isso, não coadunava com os pensamentos deles”, explica Lisboa, lembrando episódios em que lutou ao lado do atual presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, em prol dos trabalhadores.

“Em Brasília, nós montávamos peças de teatro com as histórias dos militares, apenas trocando os nomes dos generais. Assim, conseguíamos contar a história.”

Agora, a Polícia de Framingham escreveu o nome de Lisboa na história.

Fonte: (Da redação)