Publicado em 15/06/2009 as 12:00am

Festival de Cinema de Miami aclama Bruno Barreto e "O Divã"

O cineasta Bruno Barreto recebeu o Lifetime Achievement Award e o filme de José Alvarenga Jr foi o mais premiado

Por Gilvan de Sergipe

Depois de mais de uma semana de exibições de uma seleta safra de audiovisuais brasileiros, terminou neste sábado o aclamado Festival de Cinema Brasileiro de Miami. A cerimônia de premiações com as cobiçadas estatuetas Lente de Cristal foi realizada no tradicional Colony Theatre, de Miami Beach, diante de uma admirada platéia composta por brasileiros, americanos e hispanos, que literalmente lotaram o teatro para aplaudir o talento dos profissionais do cinema brasileiro. O dia 13 do final do 13th Brazilian Film Festival of Miami foi indubitavelmente o dia de sorte do cineasta José Alvarenga Jr, diretor do filme "O Divã". A comédia levou as Lentes de Cristal nas categorias de Melhor Filme, Melhor Atriz (Lilia Cabral), Melhor Direção (José Alvarenga Jr.), Melhor Edição (Diana Vasconcelos), Melhor Cenário (Cláudio Saback) e Melhor Direção de Arte (Cláudio Domingos). Não bastassem todos esses troféus dados pelo Júri Oficial de Longa-Metragem, ainda abocanhou a estatueta dada pelo Júri Popular. Mas o grande reconhecimento pelo conjunto de suas obras foi dado mesmo ao internacionalmente aclamado diretor Bruno Barreto. Aplaudido de pé por uma platéia cativa de seu talento, o cineasta subiu ao palco para agradecer o Lifetime Achievement Award e dedicá-lo a seus filhos, que 'estão seguindo o mesmo caminho de amor ao cinema'.O jovem ator Cauã Reymond, que esteve em Miami no início da semana para promover o filme de José Eduardo Belmonte, não compareceu à cerimônia de premiações para receber o troféu de Melhor Ator por sua atuação no drama "Se Nada Mais Der Certo". "Loki - Arnaldo Batista", cinebiografia dirigida por Paulo Henrique Fontenelle e que conta a vida do músico Arnaldo Batista, ex-integrante de Os Mutantes, levou a estatueta de Melhor Documentário. Lula Carvalho recebeu o Lente de Cristal na categoria Melhor Fotografia, por seu trabalho para o longa-metragem "Feliz Natal", de Selton Mello. "Romance", de Guel Arraes e Paula Lavigne, muito elogiado após sua exibição no dia 6 por trazer um excelente elenco formado por Wagner Moura, Letícia Sabatella, Andréa Beltrão, Marco Nanini, José Wilker, entre outros, já está sendo cotado como um dos favoritos no XII Festival Internacional de Cinema de Xangai, que começou neste sábado, 13, e onde 14 países disputam o prêmio Jin Jue.Os curtas, que concorrem a cinco troféus, tiveram em "Dossiê Rê Bordosa", (Melhor Direção de Arte, Daniel Bruson), e "Sildenafil" (Melhor Filme e Melhor Direção, Clóvis Mello) os mais elogiosos comentários do público. "Sildenafil", uma comédia criada em cima dos desejos sexuais de uma esposa que obriga seu marido a tomar viagra, também foi aclamado pelo Júri Popular como "Melhor Filme".Dois interessantes momentos desse Festival foram ilustrados pelos trabalhos audiovisuais das fundadoras do Brazilian Film Festival of Miami. Adriana Dutra, Cláudia Dutra e Viviane Spinelli empunharam as câmeras para dirigir e produzir dois documentários em digital exibidos durante o evento. "Pioneiros" conta a saga dos irmãos Spinelli, descendentes de italianos, que ajudaram a desbravar os sertões do Mato Grosso. Já "Fumando Espero" tematiza o vício do fumo e traz depoimentos de fumantes e ex-fumantes, como Ney Latorraca, Du Moscovis, Miúcha, Carla Camurati, profissionais médicos, entre outros.Além de rever grandes momentos da filmografia brasileira através de seis das principais obras do cineasta Bruno Barreto, que foram exibidas entre 6 e 11 de junho, na Miami Beach Cinematheque, o público presente ao último dia do evento pode assistir ao mais recente trabalho do cineasta brasileiro homenageado este ano. Após a cerimônia de premiações, o filme "Última Parada 174", produzido em 2008 e que conta a história do menino de rua que parou o Brasil num simples assalto de ônibus transformado em pirotecnia pela mídia burguesa, chocou a platéia presente não apenas pela crua verdade social exposta na tela, mas conseguiu sensibilizar a todos por dar ênfase durante toda a trama à busca do relacionamento perdido entre mãe e filho.O Brazilian Film Festival of Miami, produzido pela Inffinito Foundation, tem se mostrado um dos mais importantes veículos de exposição e de promoção da cultura brasileira nos Estados Unidos. Tanto o reconhecimento de grandes profissionais da indústria audiovisual do Brasil, quanto o engajamento de setores do governo brasileiro e o crescente interesse de personalidades do cinema americano nos últimos eventos realizados comprovam a credibilidade que a organização adquiriu ao longo dos anos. A exibição das películas nacionais em Miami durante esses 13 anos tem dado frutos muito mais importantes que a simples visibilidade da produção audiovisual brasileira nos EUA. Tem dado admiração e respeito à competência dos profissionais brasileiros dessa indústria.   

Fonte: (ABTN)