Publicado em 19/06/2009 as 12:00am

Douglas "cala a boca de boateiros" e enfrenta justiça norte-americana

Ele estava sendo acusado da morte do amigo Lucas Ananias em um acidente automobilístico

 

Depois do grave acidente automobilístico, dia 25 de maio, na saída 11 da Rota 08, Bridgeport - Connecticut, a vida do brasileiro Douglas Onório se “transformou em um inferno”, conforme relata alguns de seus parentes.

Segundo as informações o carro que Douglas conduzia foi fechado na saída 11 por um outro veículo de indentificação ainda ignorada. A força do acidente terminou com a morte de Ananias, grande amigo do motorista.

Depois que a notícia veio a tona, diversos comentários surgiram de que Douglas teria fugido para o Brasil com o objetivo de espacar da condenação em terras norte-americanas.

Em contato com a redação do jornal Brazilian Times, a família explicou que Douglas não estava fugindo e que sua ida ao Brasil foi motivada pelo fato de sua avó estar com problemas de saúde. “Mas ele já retornou e teve sua corte na quinta-feira (18)”, conta, por telefone, a colunista Mara Palmieri, que acompanhou todo o processo.

A presença de Douglas na corte calou a boca de alguns “boateiros de plantão”, que espalharam pelos quatro cantos da cidade que o brasileiro estava foragido.

Ele já havia enfrentado a Corte dia 11 e ontem foi a segunda vez que Dougla ficou diante de um juiz para tratar do caso. Douglas ainda está bastante abalado com a morte de seu amigo e antes de entrar na Corte afirmou “que se fosse determinado pela justiça que ele deve pagar pelo acidente , irá pagar”.

Uma grande surpresa aconteceu na Corte de ontem, quando recebeu voz de prisão e ficou quatro horas presos até o julgamento. Os pais de Douglas, Rosane Oliveira e Nelson da Silva, que estavam acompanhados pelo advogado Ray Bauch aguardaram até o início do processo de julgamento.

Depois de algum tempo diante do juiz, Douglas foi liberado mediante pagamento de fiançam, cujo valor não foi informado à redação, e responderá o processo em liberdade.

Os pais de Douglas ficaram mais aliviados depois que o juiz deixou transparecer que o acidente foi uma fatalidade. Outro ponto que pesou favorável ao brasileiro foi o fato dele ter ido ao Brasil e retornado para participar da Corte.

Este apoio que Douglas está recebendo de seus pais tem sido muito importante para conseguir superar esta fase de sua vida. “Temos que orar e pedir a Deus que nos guie no melhor caminho e oriente a todos no sentido de entender que meu fillho não foi o culpado pelo acidente”, fala a mãe emocionada.

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)