Publicado em 19/06/2009 as 12:00am

Oficial da imigração admite abuso de criança no Brasil

O oficial do ICE, Michael Clifford, de 44 anos, admitiu em julgamento ocorrido na última terça ? feira, dia 16, que abusou sexualmente de um menor de apenas 11 anos, em visita ao Brasil em março de 2008

 

Em julgamento realizado nesta terça – feira, dia 16, um oficial da imigração de Massachusetts admitiu ter tido relações sexuais com um garoto de apenas 11 anos e tirado fotos do ato, em uma das várias visitas que realizava ao Brasil escoltando imigrantes em trâmite de deportação.

 

No ano passado,  Michael Clifford foi preso após ser denunciado por posse de material pornográfico de conteúdo pedófilo. Após investigação e utilização de provas, como um video que mostrava o oficial negociando um ‘programa’ com o menor em um hotel no Brasil em março de 2008,  Clifford admitiu culpa no caso e agora enfrentará um processo que pode lhe render de 15 a 30 anos de prisão no Brasil,  além de uma multa que poderá chegar à $250.000. Promotores federais afirmaram, segundo veiculado pelo jornal The Boston Globe, que há mais provas em filmagens realizadas pelas câmeras de segurança do hotel no qual se hospedou o oficial.   

 

Procurado pela polícia brasileira

 

Em reportagem veiculada no Brazilian Times em abril do ano passado, foi noticiado que a polícia brasileira estaria procurando o americano após  realizar uma operação batizada de ‘Castelo de Areia’ , na qual se prendeu Ivan Carlos Souza Santos, de 41 anos, e José Marcílio Barros, de 24 anos, que teriam agenciado um menino de rua de 11 anos para se prostituir para o estrangeiro.

Os policiais acreditam que um dos agenciadores tentou chantagear Clifford após saber que o norte-americano tirou fotos eróticas do menino. O programa teria custado R$ 200 ao oficial do ICE. 

 

 

Comunidade em choque

 

O fato foi motivo de revolta entre a comunidade brasileira. Andréia de Oliveira, que trabalha numa empresa de remessa de valores em Somerville – MA, não esconde a decepção. “ Eles se dizem tão certos cobrando tanto dos imigrantes e no entanto vão ao nosso país praticar um crime horrível como esse contra uma criança. É algo que nem se compara em gravidade em relação ao fato de pessoas não terem um documento aqui ” opina Andréia que é natural de Campo Grande no Mato Grosso do Sul.    “ 15 a 30 anos ainda é pouco. Ele merece muita mais por essa brutalidade” completa.  A terapeuta naturóloga Anne Luz porém, é mais ponderada em sua análise. “ Todo tema que envolve ‘Adulto x Criança = sexo’ , gera no mínimo, um enorme desconforto. Uma real situação de inadequação e barbaridade, pela própria natureza. O ser humano é um universo de conflitos, e estes podem gerar situações saudáveis e doentias. Um exemplo disso é esse polêmico caso” afirma a catarinense, que há dois anos reside em Massachusetts.

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)