Publicado em 31/07/2009 as 12:00am

Estudo aponta que indocumentados estão deixando os EUA

O relatório, divulgado pela organização Center For Immigration Studies, afirma que a população de imigrantes indocumentados declinou 13% nos últimos dois anos

 

Por Marcelo Zicker

Um relatório divulgado recentemente por uma organização de estudos sobre Imigração,  mostrou que o número de imigrantes ilegais declinou no país, apontando entre as causas,  o forte  reforço da atuação da polícia de imigração nos últimos anos e a recente crise econômica.

O estudo, realizado pelo Center For Immigration Studies de Washington, divulgou que a população de imigrantes ilegais decaiu em 13.7% ou 1.7 milhões, indo de aproximados 12.5 milhões no verão de 2007, para 10.8 milhões no primeiro semestre de 2009. Os novos números apontam uma tendência nunca vista em décadas, disse Steven Camarota, o diretor de pesquisas da instituição. “ Após duas décadas de um grande crescimento das comunidades imigrantes, podemos ver uma grande mudança. O declínio ocorreu antes da crise, e houve aumento do esforço da polícia de imigração, mas atualmente o grande fator por trás dessa queda é a economia” relatou no estudo. 

Os dados não foram os primeiros a reportar que houve declínio na população de imigrantes ilegais. Em Outubro de 2008, o Pew Hispanic Center reportou uma queda de 12.4 milhões em 2007 para 11.9 milhões em 2008. Além disso, em Fevereiro desse ano, o Departamento de Segurança Interna, ou Homeland Security, divulgou que a população de indocumentados caiu de 11.8 milhões em 2007 para 11.6 milhões no último ano.

Enquanto é impossível saber com certeza o número de imigrantes ilegais no país, especialistas calculam as estimativas subtraindo o número de imigrantes legais no país, pelo número de estrangeiros residindo nos EUA. Para o relatório, Camarota disse que pesquisadores analizaram dados dos primeiros 3 meses de 2009 da atual pesquisa populacional dos EUA, coletada mensalmente pelo Census Bureau. O Departamento de Segurança Interna, também reportou que menos pessoas foram presas ao longo da fronteira do México com os EUA, em 2008, comparado com o ano anterior. Entre 2007 e 2008, o total no número de apreenções caiu 17%, de 961.000  pessoas em 2007 para 792.000 em 2008.

Brasileiros opinam sobre relatório

 

Os números não surpreenderam alguns dos brasileiros que residem no país . Para o ativista comunitário Jorge Costa, 3 fatores foi proeminentes nesse resultado preocupante. “ Primeiramente, a forte perda de valorização da moeda, foi um ponto determinante. Antes o brasileiro fazia o sacrífico de ficar aqui, pois a diferença era grande entre o dólar e o real. Hoje, que a diferença não é tanta assim, o brasileiro ‘se deu por contente’ e está decidindo voltar. A crise e a escassez de empregos reforçou ainda mais a decisão da volta para muitos deles” opina. “ Outro fator, que foi até citado na pesquisa, foi a forte intensificação da atuação da polícia de imigração. Nos últimos 5 anos houve uma forte acentuação do comportamento do ICE e no controle de status migratório de diversos imigrantes. E por último, o imigrante está cansado de enfrentar dificuldades para conseguir documentação, como Social Security Number e Driver’s License. São anos de pressão psicológica e medo de  ser pego pela imigração que em qualquer situação de crise como essa, fazem o imigrante querer retornar para a sua terra natal” conclui Jorge.

 

O ativista ainda lança um alerta para as consequências dessa tendência de ‘volta para casa’. “ Os americanos tem que enxergar o perigo que isso pode significar. Eles sempre precisaram e sempre vão precisar de mão-de-obra imigrante. Uma decisão tem que ser tomada para resolver esse problema, que pode ter efeitos catastróficos para o país em pouco tempo. Esse país depende mais dos imigrantes do que eles imaginam” sentencia.

 

Já o radialista da Rádio AM650 de Framingham, MA, Gaspar Reis, o desemprego em crescência foi um fator decisivo. “ As empresas estão tirando as horas dos funcionários , e isto está trazendo sérias consequências para a nossa comunidade. Ainsegurança é um novo sentimento que as pessoas estão tendo que aprender a lidar. Estamos passando por um momento delicado” afirma o radialista, que comanda o programa Louvor da Saudade, que está completando um ano no ar, segunda e terça – feira às 7 pm.

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)