Publicado em 3/08/2009 as 12:00am

Assassino de brasileiro condenado à prisão perpétua

Keshawn McNeil, de Newark, foi condenado à prisão perpétua por ter assassinado Fábio Borges. O brasileiro era proprietário da casa onde morava a namorada de McNeil e foi morto num esquema armado pelo casal

 

Keshawn McNeil, de Newark, foi condenado à prisão perpétua por ter assassinado Fábio Borges. O brasileiro era proprietário da casa onde morava a namorada de McNeil e foi morto num esquema armado pelo casal, para roubar o dinheiro que a moça tinha pago pelo aluguel.

Segundo as autoridades, McNeil, depois do crime, foi jogar em Atlantic City, onde pousou para uma foto com a arma do crime.

Keshawn McNeil, de 31 anos, que se mostrou durante o julgamento um assassino frio, ganancioso e sem coração, vítima de uma amante manipuladora e cruel, vai passar 63 anos preso, antes mesmo de poder apelar para liberdade condicional. A sentença foi lida pelo juiz estadual da Suprema Corte, Jerome St. John.


A noite do crime

No dia 24 de Fevereiro de 2007, McNeil deu um só tiro, que furou o abdomen de Fábio Borges, então com 35 anos, na entrada da garagem de sua residência na Longworth Street em Newark.

O brasileiro, que tinha investido o lucro de seu trabalho como instalador de carpetes em imóveis, morreu por volta de 1:20 da manhã no University Hospital de Newark. McNeil foi preso dois dias depois de cometer o crime.

A namorada de McNeil, Staci Marshall, de 41 anos, também residente de Newark, confessou sua culpa no roubo e numa conspiração para cometer roubo. Ela deverá pegar 15 anos de cadeia. Seu julgamento é hoje, 3 de Agosto.

Pouco antes do crime, Staci ligou para o celular de Kershawn, dizendo que tinha acabado de pagar o aluguel de $1.250 dólares ao Fábio, mas insistiu que só tomou conhecimento de sua morte quando o casal chegou a Atlantic City.


Frieza e audácia por um valor irrisório

O advogado de McNeil, John McMahon, descreveu Staci como sendo uma assassina que vendeu sua história à polícia para pegar uma condenação mais suave.

A assistente do promotor, Cheryl Cucinello, descreveu McNeil como sendo um assassino de sangue frio, que teve até a audácia de pousar para uma foto em frente a um cassino de Atlantic City segurando a arma da crime. Cheryl completou dizendo que “um preço foi colocado na vida de Fábio, o valor de $1.250 dólares”.

Durante o julgamento, em Junho, Luciane Nunes, mãe dos filhos de Fábio, disse que cobrava os aluguéis, mas naquela noite, enquanto ela colocava os filhos para dormir, Fábio disse que iria buscar o aluguel da Cheryl.

McNeil tinha sido solto alguns meses antes do crime, por um homicídio realizado em 1996. Pelo assassinato de Fábio Borges, foi condenado por assalto com agravantes, inclusive por roubo e conspiração para roubar. Ele não terá direito a pedir liberdade condicional até que complete 94 anos de idade.



Fonte: (Da redação)