Publicado em 4/09/2009 as 12:00am

Brasileira assassinada em Everett - MA sofria ameaças

Na madrugada de sexta ? feira (02), a rondoniense Sheila Carla dos Santos foi encontrada morta no estacionamento de seu prédio, situado na Main St de Everett ? MA.

Na madrugada de sexta – feira (02), a rondoniense Sheila Carla dos Santos foi encontrada morta no estacionamento de seu prédio, situado no número 154 da Main St. de Everett – MA.

 

Flagrado pelo síndico do local por volta das 4:30 am, o corpo da brasileira apresentava, segundo suspeita-se,  marcas de facadas e vestígios que evidenciam uma tragédia de imensa brutalidade. A brasileira, que há 3 anos vivia nos EUA,  trabalhava como dançarina em um clube noturno em Stoughton – MA, mas era mais conhecida por ter trabalhado no polêmico King Arthur’s Lounge em Chelsea –MA.


Em entrevista coletiva horas após o ocorrido , o Middlesex District Attorney Gerry Leone não confirmou a causa da morte, em pronunciamento marcado pela cautela. Ladeado pelo Chefe de Polícia de Everett, Steven Mazzie e pelo prefeito da cidade, Carlo DeMaria Jr, ele afirmou  que a morte pode ter ocorrido entre 1: 30am e 2:30am, quando Sheila voltava do trabalho, e que ela apresentava ferimentos graves ao longo do corpo.   


Há um forte rumor de que  o crime possa ter sido causado por um suposto namorado, do qual ela tinha um relacionamento conturbado, baseado em muitos ‘términos e reconciliações’ segundo algumas fontes que conheciam a vítima. A brasileira era conhecida por ser ‘muito educada, alegre e uma alma de muito ‘bom coração’” segundo afirmou uma amiga que prefere não se identificar.

Segundo apurou a equipe de reportagem do Brazilian Times, as 2 irmãs de Sheila que viviam com ela, planejam realizar uma homenagem à brasileira nos próximos dias, em um ‘velório prévio’. Logo após, deverá ocorrer o  translado do corpo ao Brasil, que deve ser enterrado na cidade natal de  Sheila, Mirante da Serra em Rondônia.


Entre boatos de que a dançarina já estaria recebendo ameaças do namorado há algum tempo antes do assassinato, como a fato de ele ter dito ‘que a sua vida não valia mais nada sem ela, e que ela deveria tomar cuidado’  o crime sucinta dúvidas com respeito à relação da comunidade brasileira e a polícia local. Sheila poderia ter evitado a tragédia se tivesse contactado a polícia sobre as ameaças do namorado ? Ela estaria com medo de denunciá-lo por causa do seu status migratório ? São perguntas que a polícia da cidade e as autoridades que investigam o caso vão levar em consideração, revendo a relação que possuem com a grande massa de imigrantes que reside no local e suas proximidades.


Ana Santos afirmou, a um jornal de língua inglesa, que a irmã vinha reclamando e dizia que estava sendo seguida por alguém e que “queria deixar o trabalho e também de apartamento, pois estava com muito medo”.

Gerry Leone, não citou nomes de suspeitos, mas assegurou que as investigações estão quase concluídas e “tem certeza de que a elucidação do crime acontecerá muito em breve”.

 

A redação do jornal Brazilian Times tentou falar com a família de Sheila no Brazil, mas todos ainda estavam abalados pela notícia. “Não sabemos muita coisa”, disse, por telefone o irmão Cleberson. Ele disse também que ninguém sabe quando o corpo vai para o Brasil e que sua mãe não está em condições de falar com ninguém.

A polícia pede para quem quiser ajudar na investigação, fornecendo informações sobre a vítima e o crime, ligar nos telefones 781.897-6600 ou 617.394-2356.

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)