Publicado em 21/09/2009 as 12:00am

Líderes religiosos opinam sobre o Census em MA

A participação no Census 2010 tem sido uma polêmica entre imigrantes brasileiros. Um movimento contra o programa esta confundindo muitas pessoas


Por Cláudia Carmo
 

A participação no Census 2010 tem sido uma polêmica entre imigrantes brasileiros. Um movimento contra o programa esta confundindo muitas pessoas, levando-as a acreditar que, se participarem do Census estarão correndo risco de serem perseguidos e até deportados pela imigração.

Diante desta polêmica, o Brazilian Times, tem buscado publicar os prós e contras deste assunto e nesta edição foram entrevistados alguns líderes religiosos, para saber suas opiniões em relacao ao assunto.

Padre Cláudio Peters, da Comunidade Católica de East Boston

"Eu sou a favor do Census, primeiramente porque é algo, que está na constituição do país e nós, como cidadãos, temos a obrigação de participar. É através do Census que o Governo pode melhorar a distribuição de verbas para a saúde e educação. É também através do Census que são definidas as participações políticas. Se nós existimos aqui, temos que mostrar. Como podemos lutar por direitos se não provarmos que estamos aqui?"

 

Pr. Marcos Aurelio Nogueira, Comunidade Evangelica Internacional de Boston

"O que é o Census? Primeiro faz parte da Constituição; é lei. Incentivar um boicote é levar pessoas a transgredir a Lei Máxima desta nação, é ir contra princípios de cidadania. Por princípio Bíblico, a Palavra de Deus nos manda sujeitarmos às autoridades, o contrário disto é transgredir ou ignorar o que está escrito. Se as pessoas que conhecem a palavra de Deus e não se submetem a Ela, não podemos considerar suas colocações, se bem que alguns líderes nem sabem o que está escrito.

Não responder ao Censo é prejudicar a comunidade, recursos deixarão de chegar para saúde, escola e etc. Não responder ao Censo é continuar na obscuridade, creio que este é o maior interesse de alguns líderes e organizações, pois quando não existimos é que elas passam a a existir para tratar de "NOSSOS" interesses. Se formos contados, se recursos chegarem, documentados e indocumentados serão beneficiados e se isto acontecer, não precisaremos de organizações fazendo campanha para muitas coisas.

Penso que o medo de algumas organizações e líderes é o de perder a propaganda pelos nossos problemas, alguns deles continuarão a existir se não existirmos para o governo americano.
Boicotar o Censo com a propaganda de que se fizermos isto estaremos de certa forma castigando os congressistas, isto para mim é politicagem terrorista dos mais baixos.
Somos sempre convocados para apoiar as diversas campanhas por uma lei justa de imigração e vamos continuar apoiando.

Mas eu pergunto, é justo que agora os que são documentados sejam prejudicados por uma politicagem vingativa. Somente nós é que perderemos. É muito fácil movimentar uma campanha ridícula e depois virar as costas para nós e para este país que amamos e vamos continuar aqui, nós, nossos filhos e nossos netos.
É vergonhoso agredir a imprensa que tem sido uma grande aliada a nossa causa.

Em 2010, diga sim ao Censo com bom Senso"

 

Padre José  Eduardo Palma  Marques, Coordenador do  Apostolado Brasileiro da  Arquidiocese  de Boston.

"Como cristãos e pessoas chamadas a viver a fé, somos animados a  trabalhar para tudo  que busca a  verdade e o bem comum. Observar as coisas que  acontecem ao nosso redor é discernir o que é bom, do que não é, muitas vezes se torna algo muito difícil, para nós e com isso até nos confunde em  algumas situações como por exemplo, a questão do Census  2010, onde se vê opiniões variadas e até mesmo confusas para o  nosso povo. A Igreja,  por sua vez, preza por dizer a verdade e ajudar os seus fiéis a  entender e buscar esta verdade também, e tudo que pode ajudar o nosso povo a ser melhor, viver melhor, ser mais esclarecido. Responder ao Census é uma  atitude  inteligente e cristã, pois  uma vez que somos contados como povo que existe nesta terra, teremos maior chance de receber benefícios, que geram dignidade e bem estar para todos, e  tudo que gera vida e dignidade, olhando para todos os homens como um  bem comum, a Igreja participa,  apoia e acolhe de braços abertos.

O census, sempre existiu, não é uma novidade e também acontece em todas as partes do  mundo. Ninguém precisa temer, apenas participar, pois omitir-se diante desta responssabilidade é deixar de colaborar por uma sociedade melhor e mais justa. Não participar é atitude não cristã. Nós, do apostolado Brasileiro da Arquidiocese de Boston estamos nesta luta apoiando o Census  2010 e tudo o que  trouxer dignidade e  crescimento para o nosso povo".

 

Pr. Silvino Radke, Assembleia de Deus de Worcester

"Eu acho importante responder ao Census, porque é uma maneira de sermos contatos, de nos identificarmos como brasileiros. É a forma de termos verbas como imigrantes para termos dereito à saúde, escolas e beneficiar adultos e crianças a estudarem. O census é necessidade do Governo Federal para saber quantas pessoas, independente de raça e credo, vivem no país. É uma necessidade, por isso, sou a favor" 

 

Pastor José Souza, da igreja Assembléia de Deus em Everett

"Eu acho que todo cidadão, seja ele estrangeiro, imigrante que qualquer país, que vive aqui nos Estados Unidos, trabalha, ganha seu dinheiro, paga suas contas, tem benefícios do Governo ou não, ele deve contribuir com informações para ajudar o funcionamento do país, porque se nós estamos aqui e não contribuirmos, estamos cometendo um grande erro. O Census não existe só aqui e sim no mundo inteiro. Eu creio que o Census não usa método para pegar imigrante".

 

Pastor Jefferson Netto, Assembléia de Deus de Fall River

Eu sou a favor do Census 2010 e contra qualquer tipo de boicote promovido por quem quer que seja. Nas próximas linhas mostrarei porque penso assim, uma vez que todas as minhas convicções se apoiam em princípios extraídos da Bíblia Sagrada e em fundamentos sociológicos.

Nós, brasileiros, crescemos num país onde a noção de cidadania ainda não está maduramente formada na consciência do povo. Estamos a caminho, mas ainda não chegamos lá! Eu cresci vendo problema sociais causados simplesmente pela crise de conciência de cidadania, que uma grande maioria ainda sofre no Brasil. Não estou dizendo que o Brasil não seja um bom país. Boicotar o Census não fará com que o governo americano nos note, porque o governo americano aprendeu a não ceder a pressões externas ao longo dos anos.

A única coisa que um prossível boicote ao Census faria, seria privar a nossa comunidade de recursos do governo que nos trariam grandes benefícios no futuro. Boicotar o senso é boicotar nossos próprios filhos, porque quando eles entrarem dentro de um hospital num futuro próximo, terão que optar entre "negros", "brancos", "latinos", ou "asiáticos",porque quando o governo quis contar os brasileiros vivendo na nação, nós dicemos não!

O Census tem o potencial de contribuir para melhorar a vida de nós, os imigrantes e, principalmente, dos nossos filhos. Nossos filhos não precisam ser contaminados com o vírus da anticidadania!"


Pr. Germano L. de Freitas, Igreja Assembleia de Deus de Watertown

" Agente tem que se basear na Biblia e ela nos ensina que temos que respeitar as autoridades, desde que nao va em desencontro com a Biblia Sagrada. Eu como pastor, tenho 24 anos de America e pela minha experiencia, aqui, devemos obedecer as leis para termos uma consciencia limpa. Como espiritual nao me envolvo com politica e o que eu vejo e que nos devemos participar do Census, independente do nosso status".

 

Rev. Pedro Quezada, Evangel Portuguese Church de Hyannis

"Eu acredito que tudo que é necessário fazer para saber quantas pessoas imigrantes têm aqui na América, será bom para poder formar um grupo de pessoas, que representem o povo brasileiro diante das autoridades.Através deste grupo ou representação poderão ser feitos trabalhos específicos, dentro da área social, religiosa e laboral. A nossa igreja já faz parte de um grupo, juntamente com o pessoal da Assistência Médica de Hyannis e estamos á disposição para atender qualquer solicitação em favor do imigrante".



Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)