Publicado em 23/09/2009 as 12:00am

Membros do CIB deixam instituição

Nessa semana, alguns dos mais ativos membros do 'board' do Centro do Imigrante Brasileiro ? CIB, deixaram a instituição em meio à polêmica que envolve o seu diretor-executivo , Fausto da Rocha, e o posicionamento do restante do 'board' diretivo com relaç

 

Nessa semana, alguns dos mais ativos membros do ‘board’ do Centro do Imigrante Brasileiro – CIB, deixaram a instituição em meio à polêmica que envolve o seu diretor-executivo , Fausto da Rocha, e o posicionamento do restante do ‘board’ diretivo com relação ao Censo 2010.

Álvaro Lima, Elisa Garibaldi e Eduardo Siqueira anunciaram a desvinculação do CIB por não concordarem com a decisão de Fausto de se posicionar a favor do boicote ao Censo, o que vai de encontro com a posição do restante do ‘board’ , que apóia a participação do brasileiro no programa de recolhimento de dados populacionais dos EUA.

Ao justificar sua saída, Eduardo Siqueira afirma que a punição dada à Fausto por ter violado a posição do restante da diretoria foi insuficiente. “ Eu não concordei com a decisão que foi tomada com relação ao diretor-executivo e resolvi me afastar. Eu não queria que ele fosse suspenso. Ele cometeu uma violação para ser demitido, expulso do CIB. Ele falou pelo restante do ‘board’ de forma contrária com aquilo que definimos. O Censo sempre teve nosso apoio, nunca defendemos esse boicote. A nossa posição sempre foi a mesma, Fausto que mudou a dele! ” afirma Eduardo. Sobre a possibilidade da instituição vir à ruir com as recentes baixas, ele diz que tudo ficará a cargo de quem gerir a instituição a partir de agora. “ Eu estou fora, agora vai depender de quem ficar. Continuarei a prezar pelo meu compromisso com a comunidade brasileira e darei seguimento aos meus trabalhos junto ao brasileiro que reside nos EUA” revela Eduardo, que também é professor da Universidade de Massachusetts.

Já Elisa Garibaldi afirma que seu desvinculamento foi uma questão de princípios. “ Além de conflitos internos, as decisões tomadas recentemente pelo restante do ‘board’ me fizeram optar por deixar o CIB. O centro carrega mais de 15 anos de serviços prestados para a comunidade, milhares de pessoas procuram o CIB procurando auxílio em diversas áreas e não somente o carro-chefe, que é a questão dos direitos trabalhistas. Espero que ela possa superar essa crise e ressurgir forte num futuro próximo” opina Elisa, que há 20 anos atua como médica.

Diretor de Pesquisas e Desenvolvimento de Boston, Àlvaro Lima enviou um comunicado oficial justificando sua saída da organização. “Venho por meio de esta comunicar aos companheiros que,e com profunda tristeza, que tomo a decisão de afastamento permanente do Board desta entidade que tanto fez pela nossa comunidade no passado e que, certamente, continuará ativa no futuro....O Diretor Executivo do CIB quando decidiu, por livre e espontânea vontade, ir à publico defender uma posição contrária esta tomada pelo ‘Board’, sem prévia discussão com os membros deste, violou os direitos do seu cargo e deve como tal ser afastado para que o Board restaure seu papel legal. Esta decisão nada tem haver com o mérito da posição tomada pelo ‘Board’ ou esta do Diretor do Centro. Ela tem base na legislação que cria organizações sem fins lucrativos e no dever moral de manter o “trust” entre o público e o privado.... Espero sinceramente que alguns companheiros do’ Board’ e outros que venham a juntar-se a este, possam navegar esta nova crise pela qual passa o CIB. Como sempre estarei pronto a ajudar no que estiver ao meu alcance” declarou na nota enviada à imprensa.

Fonte: (Da redação)