Publicado em 30/09/2009 as 12:00am

Estudantes indocumentados lutam pelo Dream Act em MA

A Ong SIM ? Student Immigrant Movement é formada por estudantes indocumentados em Massachusetts que lutam para aprovação da lei conhecida como 'Dream Act', que daria direitos iguais a eles de estudar no país

 

A realidade de milhões de estudantes indocumentados nos EUA esbarra num grande problema. A situação migratória irregular é o motivo pelo qual esses jovens imigrantes não podem concluir seus estudos no College e nas universidades americanas. O SIM – Student Immigrant Movement, formada por estudantes indocumentados, é uma organização de Massachusetts empenhada na aprovação de uma legislação que possibilite ao indocumentado de ter igualdade de direitos com o norte-americano dentro das instituições de ensino do país.

 

Criada em 2005, a SIM conta com vários brasileiros como membros, que atuam de forma ativa em campanhas para sensibilizar o meio político do país em favor dos  sonhos e objetivos profissionais da enorme massa de imigrantes que estudam nos EUA. “ Me filiei à organização quando um professor , que tinha descoberto que algumas pessoas da minha classe não tinham documentos, explicou para nós como a lei americana era tortuosa e difícil para o imigrante não legalizado. A partir daí procurei por organizações que lutavam pra essa situação mudar, e descobri a SIM” conta a catarinense Renata Deodoro, que reside em Boston. Ela teve que interromper seus estudos quando estava no 2ª  ano de Psicologia e Assistência Social na Universidade de Massachusetts, por não conseguir mais pagar a ‘tuition’ da faculdade, estipulada como ‘Out of State’ , o que triplica o seu valor regular. “ Eu trabalhava dia e noite para pagar a minha faculdade, mas a partir de determinado momento não suportei tamanha despesa” desabafa Renata.  

 

Além da dura decisão de largar a faculdade, ela tem que lidar com uma tragédia que marca a sua vida pessoal. “ Minha família teve que voltar para o Brasil por causa dos problemas que o meu pai tinha com a Imigração. Minha mãe, meu pai, e meus irmãos voltaram e  agora me encontro sozinha pra seguir o meu sonho” relata a estudante, que tem tem 22 anos e há 16 reside no país.

 

Apesar de ter conseguido a sua graduação em Literatura Inglesa na Universidade de Massachusetts, a pernambucana Juliana Araújo agora esbarra em outro imbróglio da lei. “ Meu diploma não é válido no país, só funciona como lembrança. Como não tenho nenhum documento, não estou apta a trabalhar no país, nem mesmo na minha área. É por isso que ‘comprei essa briga’. Nós consumimos, pagamos impostos, somos cidadões ativos dentro do país, porque não podemos usufruir de alguns direitos?” questiona ela, que reside em Quincy –MA, e assim como Renata, faz parte da SIM - Student Immigrant Movement. “ Trabalhei de garçonete, em restaurante, de baby sitter, tudo para conseguir pagar minha faculdade inteira, mesmo com essa ‘tuition’ caríssima. Agora o mínimo que espero é poder usufruir dessa conquista” completa.

 

Organização já conseguiu apoio de vários congressistas

 

Em julho desse ano, aproximadamente mil estudantes foram até Washington D.C na tentativa de conseguir a assinatura de congressitas em favor do ‘Dream Act’ , proposta de lei que regulamentaria direitos ao jovem indocumentado de concluir seus estudos no país. “ Conseguimos 10 assinaturas e atualmente temos um total de 91 entre congressistas de vários estados. Precisamos de 219 para pleitear que a lei entre em vigor. Precisamos de mais assinaturas em New England, mas estamos confiantes que iremos conseguir” afirma Renata.

 

No site da organização (http://simforus.com) eles lançam uma campanha incentivando todo estudante indocumentado a trabalhar em prol de sensibilizar um congressista para abraçar a causa. “ Nós devemos ligar todos os dias para deixá-los saber. Ache o seu representante ou senador! Convide-o para ser um aliado na causa do ‘Dream Act’ ” afirmam no site.

 

 

 

SAIBA MAIS SOBRE O ‘DREAM ACT’

 

O Dream Act é um projeto de lei que visa  fornecer residência temporária ( condicionada por 6 anos) e que poderia ser ajustada para permanente (Green Card)  para aqueles imigrantes :

 

 - Que desembarcaram no país com menos de 15 anos e estão vivendo nos EUA por pelo menos 5 anos antes da aprovação da lei

 

- Que se graduaram na High School e completaram ao menos 2 anos de faculdade nos EUA

 

- Que não tem antecedentes criminais ou quaisquer outros problemas com lei. 

 

Aqueles  estudantes que ganharam a residência temporária de 6 anos, poderiam aplicar para a residência definitiva se obtiverem o diploma universitário com boa qualidade nas notas e que prestem serviço militar ou determinadas horas de serviço comunitário,  que são definidas pelo U.S Homeland Security.

 

Tentativas de aprovar a lei ocorreram ao longo do governo George W. Bush,  e ela volta a ser discutida na administração Obama em vias de uma reforma imigratória vir a se concretizar.

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)