Publicado em 30/09/2009 as 12:00am

Express Moving International tem paradeiro de caixas reveladas

Novamente o BT recebeu um contato anônimo de uma das vítimas do caso Adonai Moving / Express Moving International que forneceu, com exclusividade, documentos oficiais da empresa com os números das caixas e a relação dos responsáveis dos contêineres

 

Por Marcelo Zicker


A reação de um grupo de clientes prejudicados pela Adonai Moving rende novos capítulos. Foram divulgados no site do grupo nessa semana, dados sobre os clientes que estão sob responsabilidade da Express Moving International, e que estão esperando há  meses para terem suas caixas liberadas até seus destinos finais. Novamente, a partir de uma investigação minuciosa, eles conseguiram documentos oficiais da empresa com o número das caixas  e responsáveis pelo contêineres.

 

 

Disponíveis num site da internet, juntamente com muitas outras informações como a relação das empresas das transportadoras , dos responsáveis por cada contêiner e das caixas ‘em trânsito’( retidas) , as novas informações acendem ainda mais a esperança de milhares de brasileiros em reaver seus pertences.  “Conseguimos dar um novo grande passo a frente nesse movimento. As informações da Express Moving International contém o número de todas as caixas e os responsáveis por cada contêiner. Em breve, esperamos divulgar o nome das vítimas e obter respostas da empresa, que ainda não se manifestou. Nossa dedicação está surtindo efeito e mantenho as esperanças de um dia esses brasileiros , assim como eu, terão suas caixas entregues” afirma o cliente anônimo.

 

 

É preciso fazer um conta no site http://br.groups.yahoo.com e depois acessar o site http://br.groups.yahoo.com/group/lesadosdoscontainers para se filiar ao Grupo de Discussão ‘Lesados dos Containers’. Quando entrar seguir as seguintes instruções. Acessar parte ‘Arquivos’, à esquerda na tela

 

Após fazer o cadastro, o brasileiro deve seguir alguns passos : 

 

1 – Pesquisar o número das caixas e do contêiner entre os arquivos XLS  situados na parte ‘Arquivos’ (ex : CONTAINER_3086.xls)

 

2 – Acionar a Procuradoria – Geral de Santos e o Ministério Público Brasileiro e até mesmo o Porto de Santos, em São Paulo, para descobrir como proceder adiante

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)