Publicado em 5/10/2009 as 12:00am

Aumenta a quantidade de imigrantes mortos na fronteira

Na sexta feira passada, 2 de outubro, o governo americano revelou que a quantidade de imigrantes que morreram na fronteira, ao cruzarem ilegalmente para os Estados Unidos, será maior do que a cifra do ano passado

Treze mortos em setembro converteram esse ano fiscal que acaba de finalizar, em mais mortífero do que o ano anterior, quando faleceram 390 pessoas. O récorde de mortes foi registrado, até agora, no ano de 2005, com 492.

O portavoz do Border Patrol, Lloyd Easterling, afirmou que a agencia enviou equipes de resgate 444 vezes no último ano, para encontrar imigrantes com problemas e instalar refúgios onde os mesmos possam emitir sinais de socorro. Foi feita uma campanha institucional, informando aos ilegais da fronteira que coyotes sem excrúpulos os expõem a perigos. “Queremos assegurar de que nossos esforços estão focalizados em prevenir as travessias e em prender contrabandistas de pessoas que as levam para lugares perigosos e expõem suas vidas a situações de riscos”.

Mais da metade das mortes durante o ano fiscal terminado agora em setembro,foram reportadas no Arizona, estado que se converteu no ponto de entrada ilegal mais frequentado, depois que as autoridades reforçaram a fronteira em El Paso, Texas e San Diego.

O segundo estado com maior número de mortes de imigrantes é o Texas, seguido pela Califórnia e pelo Novo México.

A principal causa das mortes foi por insolação. Outras causas são por afogamento nos rios e canais, assassinatos por bandidos que procuram imigrantes durante a longa caminhada pela fronteira e por acidentes com veículos usados pelos coyotes e contrabandistas.

Fonte: (Fonte: Miami Herald - Tradução Phydias Barbosa)