Publicado em 14/10/2009 as 12:00am

Suspeito de assassinar Sheila é julgado em Malden / MA

O ex-namorado Antônio Marcos Ferreira é o principal suspeito de ter assassinado com 33 facadas a dançarina Sheila dos Santos em Everett ?MA

Principal suspeito pela morte da brasileira Sheila Carla dos Santos, o mineiro Antonio Marcos Ferreira, de 38 anos compareceu a Cörte de Malden – MA, na manhá dessa terça- feira (13). Ladeado por seu advogado, o brasileiro preferiu não se pronunciar em frente ao juiz, sendo que seu advogado foi o responsável por realizar sua defesa.

Antônio, ex-namorado de Sheila, está sendo julgado pelo crime de homicídio em terceiro grau pelo juiz Matthew J. Nestor , e não teve o pedido de fiança aceito. Preso, ele aguarda o próximo julgamento, a ocorrer no próximo dia 19, na Suprema Côrte em Boston – MA. “ Se ele está preso agora é porque existem provas suficientes para comprovar a sua culpa no caso. Ele enfrentará a Suprema Côrte e terá muitas dificuldades de provar sua inocência” afirma o Sargento Paul Hamilton de Everett- MA. “ A investigação já coletou depoimentos, provas físicas e imagens de câmera de segurança que levam a confirmação de que foi ele que assassinou Sheila” completa o sargento. A Assistant Middlesex District Attorney, Adrienne Lynch, afirmou que câmeras de segurança localizadas próximo ao local captaram a movimentação de um Nissan Murano cinza, similar ao de Antônio, seguindo em direção ao prédio de Sheila alguns minutos antes do Honda CRV da rondoniense. Uma testemunha ainda disse ter visto um homem correndo por volta das 1 : 44 am, próximo ao prédio de Sheila. O mineiro também teria ligado dezenas de vezes para a vítima, um dia antes do homicídio.


Ainda abalada, a irmã de Sheila, Ana Paula dos Santos, compareceu ao julgamento dessa manhã e se mantém esperançosa que a justiça seja feita. “ Já tem muitas indícios que provam que ele foi o assassino da minha irmã. Foi falado na Côrte que foram encontradas marcas de sangue dela no tênis e no casaco dele. Além disso, ele foi filmado pelas câmeras de segurança do prédio na hora do crime.Mas tudo que o advogado dele afirmou foi que ele era inocente e que ele estaria dormindo no horário que minha irmã foi morta. Estou assustada com a frieza dele, uma pessoa da qual eu convivi e que parecia ser confiável” afirma Ana Paula. “ Ele sempre se mostrou atencioso e preocupado com a gente, mas depois de um crime desse, eu sei que era tudo falsidade. Ele sempre mandava presentes, mandava mensagem carinhosas e agora comete um crime desses” desabafa.

O advogado de defesa, John Hayes, descreveu seu cliente como ‘traumatizado’, completando que a polícia ‘tinha pego o homem errado’. Sobre o sangue dela encontrada nas roupas de Antònio, ele afirma que não é uma prova suficiente. “ Eles tiveram um longo relacionamento. Não é surpresa que possa haver sangue dela nas roupas dele” conclui.

Ameaçada por meses antes do crime, Sheila poderia ter denunciado a polícia e evitado sua morte prematura. Talvez não tenha o feito por sua situação migratória irregular. Esse é o questionamento que parte da comunidade faz diante da tragédia e que cria um novo imbróglio. O fato pode prejudicar ainda mais a relação da polícia com a comunidade brasileira ? “ Na minha opinião, de forma alguma. A polícia sempre enxergou os brasileiros como um povo trabalhador, que preza a instituição da família, sempre ligados com Deus e que só contribuem para o nosso pais. Eles não precisam ter medo de denunciar crimes como esse, estamos aqui justamente para ajudá-los no que for preciso” esclarece o sargento Hamilton.


Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)