Publicado em 21/10/2009 as 12:00am

Justiça americana proíbe fantasia de indocumentado

Depois de uma forte pressão movida por imigrantes e ativistas, os lojistas especializados em artigos para o Halloween foram obrigados a retirarem das prateleiras uma fantasia de "Imigrante Ilegal". O argumento utilizado para coibir a venda deste produto f

Depois de uma forte pressão movida por imigrantes e ativistas, os lojistas especializados em artigos para o Halloween foram obrigados a retirarem das prateleiras uma fantasia de “Imigrante Ilegal”. O argumento utilizado para coibir a venda deste produto foi de que o material é politicamente incorreto.

A fantasia que consiste num uniforme de cor laranja, semelhante aos utilizados nos centros de detenção norte-americanos, no qual está grafado a frase “Illegal Alien”  e ainda um cartão verde de papelão e uma máscara alienígena. O produto foi considerado ofensivo.

A fantasia estava sendo vendida em lojas como a Target e Walgreen’s, além do site Amazon. O valor pago pelo conjunto era de $40. Segundo Angelica Sales, diretora da Coalition for Human Immigrant Rigths of Los Angeles, “isso foi um ato de muito mau-gosto, cruel e preconceituoso”.

Ela afirma que foram enviados cartas repudiando o ato à diversas lojas que estavam comercializando o produto e que “em pouco tempo a fantasia foi tirada de circulação”.  A Target foi a primeira a admitir o erro. Em um comunicado à imprensa, a diretoria da loja disse: “Não foi nossa intenção ofender  nosso clientes, até porque muitos deles são imigrantes”.

A fantasia também saiu de circulação no Walgreen’s , mas continua sendo comercializada no site Amazon.

Fonte: (Da redação)