Publicado em 26/10/2009 as 12:00am

Polícia multa 38 motoristas por não saberem falar Inglês

O chefe da polícia David Kunkle, da cidade de Dallas, no Texas, reconheceu que seus policiais multaram, indevidamente, 38 motoristas que não sabiam falar Inglês, nos últimos três anos

O chefe da polícia David Kunkle, da cidade de Dallas, no Texas, reconheceu que seus policiais multaram, indevidamente, 38 motoristas que não sabiam falar Inglês, nos últimos três anos. A descoberta veio depois que uma mulher foi presa, no início deste mês, quando fazia um "U" turn ilegal e foi e multada por ser “motorista que não fala Inglês”.

O chefe da polícia disse que as intimações são decepcionantes para Dallas, uma cidade onde os latinos representam 44% dos mais de um milhão de habitantes e onde quase 45% dos habitantes falam outros idiomas. "Fiquei surpreso e chocado", disse Kunkle. "Temos uma comunidade diversificada", acrescentou.

Kunkle disse que o sistema computadorizado de intimações de seu escritório tem um menu que inclui uma exigência: para que os condutores de veículos comerciais falem Inglês. Ele acredita que a lei federal foi indevidamente aplicada aos condutores de veículos de turismo e residentes de outras nacionalidades.

Pelo menos seis agentes fizeram estas citações, incluindo um, que escreveu cinco, Kunkle afirmou numa entrevista coletiva. Os policiais e seus supervisores estão sob investigação. A polícia de Dallas fará pesquisas, para saber se há multas idênticas aplicadas para além dos três anos mencionados, no sentido de descobrir outras intimações ilegais como essas,  Kunkle disse.

Em 2 de outubro, Ernestina Mondragon foi detida pelo policial Gary Bromley, um policial novato que ainda estava em estágio supervisionado. A motorista foi multada por não falar Inglês e recebeu outra citação por ter feito o U turn não permitido.

Ernestina estava levando sua filha de 11 anos para a escola quando foi parada por Bromley. A mulher havia esquecido sua bolsa com a carteira em casa, pois estava com pressa para sair naquela manhã, depois que sua filha perdeu o ônibus escolar.

"Eu me senti humilhada, triste", disse Mondragón. "Eu queria chorar, mas não consegui. A raiva não deixou", disse ela, acrescentando que, durante a comunicação entre ela e o policial, usou poucas palavras e frases que conhece em Inglês. "Ele perguntou se eu falava Inglês. Eu disse que entendia, mas falava pouco".

Ela afirmou que os funcionários da corte ficaram perplexos com a posição do policial. O tribunal indeferiu a multa por "não falar Inglês" e da citação por falta da carteira, depois que a mulher expôs seu problema. Os funcionários da corte já haviam se certificado que a mulher era habilitada e possuia carteira do estado.


Kunkle disse que não esclareceu ainda as outras 37 citações. Ernestina Mondragon ficou chocada ao ouvir sobre as outras citações e comentou que estava contente por ter dito alguma coisa para que esta atitude dos policiais não continue a ocorrer. Ela e sua família estão considerando a possibilidade de uma ação contra o departamento de trânsito do estado do Texas.

 

Fonte: (do Miami Herald, tradução de Phydias Barbosa)