Publicado em 4/12/2009 as 12:00am

Militar brasileiro é convocado para ir à Guerra do Iraque

Servindo ao exército norte-americano há dois anos, o carioca José Alberto Alves da Silva foi convocado para ir ao Iraque neste mês

 

Por Marcelo Zicker


Um caminho de muitas oportunidades e benefícios, a carreira militar tem adquirido cada vez mais procura e curiosidade por parte dos brasileiros que residem nos EUA. Em série de reportagens veiculadas no início do ano passado, o BT retratou a trajetória de alguns dos destaques tupiniquins dentro da Guarda Nacional Norte-Americana e acendeu a luz sobre as vantagens de vestir a farda do país.

Há 2 anos atuando como militar, o carioca José Alberto Alves da Silva, se prepara para enfrentar um dos maiores desafios de sua vida : ser enviado ao Iraque e defender a paz e a ordem numa terra devastada pelo pós-guerra e por diferenças sociais e religiosas. “ Espero poder cumprir o meu papel e honrar a oportunidade que me foi dada” afirma o carioca, que há 12 anos mora nos EUA, residindo atualmente em Framingham – MA.

Como grande parte dos imigrantes brasileiros, José Alberto desembarcou nos EUA em busca de novas perspectivas e de uma melhor qualidade de vida. “ Logo que me formei em direito no Brasil, não conseguia me estabelecer na área. À convite de uma amiga da minha família, resolvi viajar aos EUA para tentar mudar de vida. Trabalhei no Dunkin Donuts, entregando e fazendo pizza, limpeza, construção, pintura. Quase todos os empregos que os imigrantes tem que desempenhar nessa ‘terra’” afirma José Alberto. A descoberta pelo caminho militar, porém, mudou seus projetos futuros. “ Após me casar e me fixar num emprego em um restaurante, a minha esposa na época me falou sobre essa oportunidade. Ela tinha conversado com uma mulher de um militar e ficou impressionada como a realidade era muito diferente do que ela pensava. Eu, que já vinha de uma família de militares, achei que seria uma ótima oportunidade” relata o carioca, que atualmente se encontra divorciado. “ Eu já tinha o Green Card, mas o alistamento pode acelerar o processo de cidadania, e isso foi um fator primordial na minha escolha. Queria dar essa segurança para mim e para meus filhos. Foi uma maneira muito honrada de receber a cidadania” completa.

Com a função de Utilities Equipment Repairer ( responsável por fazer a manutenção elétrica dos equipamentos utilizados pelo exército) , ele deverá ter uma data estipulada para a viagem ao Iraque este mês. “ Fui convocado e irei com todo orgulho e honra. Estou bem treinado física e psicologicamente e sei que será um longo período dedicado a servir o país. Inicialmente ficarei por um ano, mas esse prazo pode ser menor ou maior dependendo de vários fatores. Mas isso não depende de mim. Eu propus ficar à disposição do governo americano, usufrui dos benefícios de ser um militar e agora chegou a vez de honrar o compromisso” explica ele, que tem dois filhos, Lucas, de 3 anos, e Nicole, de 5. “ Eu irei para a guerra por eles e voltarei por eles. Meus filhos são tudo para mim” ressalta, José Alberto.

Sentimento brasileiro

E como fica o coração verde-amarelo nessa história ? Para José Alberto, o patriotismo continua cada vez mais forte.  “ Vou levar a bandeira do Brasil, fisicamente  e no coração. Também vou levar uns CDs de pagode e aprontar um churrasco à brasileira sempre que der. Ano que vem também é ano de Copa do Mundo e assistirei a todos os jogos do Brasil que forem possíveis. Nunca vou perder o orgulho de ser brasileiro. Se vocês ouvirem falar de um pagode acontecendo no Iraque, podem saber que eu organizei e que a ‘bagunça’ foi culpa minha” brinca o militar.

Benefícios de vestir a farda

Entre alguns dos benefícios em pertencer*  à Guarda Nacional Americana estão  :

- Rápido processo de obtenção de cidadania e sem custos de taxas

- Remunerações bônus que chegam a $20 mil dólares por ano dependendo da posição

- Treinamento remunerado em mais de 200 posições
- Plano de saúde e de aposentadoria
- Financiamento para o College
- Respeito frente à sociedade americana 

* Os critérios mínimos para aplicação é possuir residência permanente ( Green Card) e ter entre 17 à 34 anos de idade.

Para quem quiser mais informações, o sargento Odilon Rodrigues disponibiliza seu contato para eventuais dúvidas e informações acerca do processo de alistamento -  (617) 967 – 2666.

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)