Publicado em 8/01/2010 as 12:00am

ICE prende 9 e indicia outros 49 indocumentados em MA

Em entrevista exclusiva, a porta-voz do ICE, Paula Grenier, afirma que não se tratou de uma blitz, mas sim de uma operação orientada pela procura de alguns nomes que estariam na 'lista negra' da Imigração


Por Marcelo Zicker

 

Nesta quarta –feira (06), uma operação da U.S. Immigration and Customs Enforcements (ICE) realizada nas ruas de Foxborough – MA, terminou com a prisão de 9 imigrantes e com a marcação de côrte para outros 49 indocumentados que tramitavam pelo local.

 

Em entrevista exclusiva ao Brazilian Times, a porta-voz do ICE, Paula Grenier, afirmou de que não se tratou de uma batida, mas sim de uma operação orientada pela procura de alguns nomes que estariam na ‘lista negra’  da Imigração, que teriam sido deportados e voltaram ao país ilegalmente. “É um procedimento adotado em todo o país. O ICE conta com equipes especializadas em todos os estados para atuar na procura por esse tipo de infrator das leis de imigração. A equipe que atuou em Foxborough tinha uma lista de nomes definida, e toda a ação foi planejada de maneira a prender os imigrantes que re-entraram no país de maneira irregular. Como outros imigrantes estavam envolvidos no momento da ação, eles também tiveram seu status verificado” explica Grenier, justificando o fato de a operação ter envolvido imigrantes que não eram procurados pelo ICE , e que agora terão que prestar contas à justiça de Imigração. “As 49 pessoas autuadas pelo status migratório irregular estão em liberdade e aguardam a decisão e a marcação de comparecimento à justiça. Elas terão que justificar a ilegalidade e poderão receber ordem de deportação. Dentre os 9 indocumentados presos, 5 deles já tinham sido deportados e retornaram ilegalmente ao país. Infração grave pela lei americana, o retorno ilegal ao país pode custar  a eles 20 anos de cadeia, se condenados.  Dois  imigrantes eram procurados por infrações criminais,  e vão ser julgados por esses crimes. E outros dois já tinham ordem de deportação expedida e devem ser deportados” revela a porta-voz do ICE.

 

Em manifesto enviado à imprensa, a ativista Heloísa Galvão, do Grupo Mulher Brasileira, condenou a ação do ICE. “De acordo com as notícias veiculadas até agora, esses imigrantes foram presos durante uma blitz de trânsito. Nós precisamos saber se as pessoas detidas estão sendo informadas dos seus direitos, estão tendo acesso ao telefone para chamar seus consulados e seus familiares e como esta batida foi preparada e levada a efeito” questiona Heloísa.  Ela ainda faz um apelo para que se suspenda as batidas no país. “Neste início de ano, líderes comunitários e religiosos, comunidades, políticos e o próprio Presidente Obama têm trabalhado duro e em conjunto para garantir a apresentação e aprovação de uma nova lei de imigração justa e extensiva. Apelamos para o Presidente Obama e a diretora do  Departamento de Segurança Interna, Janet Napolitano, para suspender imediatamente todas as batidas. Nós precisamos que os imigrantes e as comunidades em geral tenham confiança nas autoridades e não vivam escondidas e com medo. Ações como estas da imigração, indo para as ruas parar as pessoas, aterrorizam mais as famílias, as isolam e colocam em risco a segurança de todos” alerta a ativista.

 

O Diretor de Comunicações da Massachusetts Immigrants & Refugee Advocacy Coalition  - MIRA, Franklin Soults,  afirmou que se tratando de uma ação planejada e produto de uma investigação, a operação não deveria ter sido realizada como ‘batida’ ou ‘blitz policial’. “ Reconhecemos que havia nomes com envolvimento criminal e com infrações graves na lei de imigração americana, o que legitima a operação. Mas não concordamos da maneira como foi executada, parando dezenas de imigrantes que não tinham nada haver com a investigação e que acabaram sendo autuados e indiciados” opina Franklin.  Ele ainda desconfia que o número de imigrantes pegos na operação seja maior do que o oficialmente divulgado pelo ICE. “ Não se sabe ao certo até que ponto a verdade foi revelada até agora. Eles dizem que foram 58 imigrantes pegos na ação, mas podem ter sido mais que isso. Eles não deram muitas informações acerca dos acusados e parecem estar receosos de revelar o que verdadeiramente aconteceu nessa quarta – feira” questiona o ativista.

 

Fonte: (ABTN - Agência Brazilian Times de Notícias)