Publicado em 22/01/2010 as 12:00am

Brasileiro usa social de idoso morto para comprar casas e veículos

Um brasileiro que tinha se tornado o primeiro empresário no estado do Arizona a ser incriminado por sanções a um empregador, também foi envolvido agora num escândalo de falsificação de ID's

 

Um brasileiro que tinha se tornado o primeiro empresário no estado do Arizona a ser incriminado por sanções a um empregador, também foi envolvido agora num escândalo de falsificação de ID’s.

Raphael Libardi , da região de Valley, foi sentenciado à 6 meses de prisão após admitir culpa em dois casos de falsificação. O empresário, de 48 anos, aparentemente começou utilizando o Social Security Number de um idoso em 2002 para estabelecer o seu negócio, baseado em comercialização de Granito, comprar uma casa de $500.000 em Anthem e dois veículos.

A vítima do golpe do brasileiro, morreu em dezembro de 2008, e sua filha está à frente do caso, ajudando nas investigações. Libardi foi preso em julho de 2009, após uma série de denúncias que chegaram ao conhecimento do Sheriff's Office and County Attorney's Office, que concluíram que o brasileiro estaria ilegalmente no país.

Em junho passado, foram expedidos mandados de busca e apreensão na Aracruz International Granite, empresa de Raphael, bem como também a sua casa, em Anthem.

Dois filhos do acusado, Ive Libardi, de 25 anos e Isac Libardi , de 20 anos, também foram presos na sede da empresa, sob suspeita de estar ilegalmente no país, segundo reportou o canal ABC.

Autoridades disseram que entre 15 e 20 pessoas que trabalham no local era indocumentadas.  Nenhuma ação civil envolvendo a contratação de ilegais tinha sido aplicada a nenhuma empresa antes do caso envolvendo o brasileiro.  “ Estamos progredindo e melhorando a verificação em empresas” afirmou o Procurador Distrital de Maricopa, Andrew Thomas, que está investigando o caso envolvendo Libardi. Ele afirma que as autoridades na cidade investigaram 20 outras empresas por possíveis violações trabalhistas. Uma empresa acusada de violar as leis trabalhistas pode ter suspensa, e até revogada, a sua licença para operar no estado do Arizona.

Fonte: (Da redação)