Publicado em 25/01/2010 as 12:00am

Vicê-Cônsul de Boston fala sobre Carteira Consular

Criado pelo Ministério das Relações Exteriores, o documento não substitui o passaporte, mas já é aceito por algumas instituições norte-americanas, inclusive a polícia de alguns estados

 

Por Cláudia Carmo


Lançada recentemente pelo Ministério das Relações Exteriores - MRE, a Carteira de Matrícula Consular se tornou um importante documento para brasileiros que vivem no exterior, inclusive nos Estados Unidos. Alguns consulados brasileiros já liberam o documento em grande escala e devido a um forte empenho do Consulado em Chicago, a CMC  é um documento reconhecido por parte desta cidade e do estado de Illinois.

Outros consulados trabalham para que o documento seja reconhecido pelas autoridades de suas respectivas jurisdições. São eles: New York, Washington e São Francisco. A idéia é tornar o documento aceito pelos policiais, em hospitais e bancos.

Em Boston, a divulgação e expedição do documento ainda é pequena conforme relata o vice-cônsul, Ministro Fernando Igreja. Segundo ele, além de ser um documento importante para a identificação do brasileiro, facilita a expedição de outros documentos e permite contatar com maior rapidez os brasileiros no exterior e seus respectivos familiares que ficaram no Brasil. “O documento, também, permite conhecer melhor a nossa comunidade. Todos os registrados receberão avisos importantes tais como época de eleição, período para declaração do imposto de renda entre outros”, ressalta.

 

Brazilian Times – Este documento substitui o passaporte?

Fernando Igreja – Não. A Carteira de Matrícula Consular não substitui nenhum documento outro brasileiro, mas ajuda a identificar o brasileiro e a referida região onde mora.

 

Brazilian Times – O que o brasileiro deve fazer para conseguir a CMC?

Fernando Igreja – Ele deve procurar a repartição consular da jurisdição onde reside munido apenas de um documento de identidade. Os dados serão coletados e em seguidas transmitidos, eletronicamente, para o Consulado-Geral do Brasil em Chicago. Lá a CMC é emitida.

 

Brazilian Times – Após a aplicação para obtenção da CMC, como o brasileiro tem acesso ao documento?

Fernando Igreja – O Consulado de Chicago envia, pelo “correios”, no documento do candidato.

 

Brazilian Times – Em alguns estados a emissão da CMC é grande. Aqui em Boston, como está a procura pela carteira?

Fernando Igreja – No momento, o Consulado em Boston emite um pequeno número de carteiras consulares, privilegiando apenas casos especiais (pessoas que não tem documentação necessária para obtenção do passaporte). Mas estamos nos preparando para um balcão específico que irá atuar apenas na emissão da carteira.

 

Brazilian Times – Quais as finalidades deste documento?

Fernando Igreja – Em casos de emergência, ajuda a contatar a família dos brasileiros no Brasil, facilita o retorno ao Brasil em caso de perda do passaporte. Como já foi dito, é um documento que poderá ser reconhecido em todo o território norte-americano, pois algumas regiões isso já acontece.

 

Brazilian Times – Qual a força deste documento?

Fernando Igreja – A CMC serva para identificação de seu usuário, é aceita em algumas instituições bancárias e prova que seu portador mora no referido país. Ela não pode ser usada para dirigir e não é um comprovante da situação imigratória.

 

 

Veja alguns casos em que a Carteira de Matrícula Consular é aceita:

•Prova de identidade, com fotografia (“photo ID”);

•Abertura e movimentação de conta em bancos, inclusive para transferência de dinheiro para o Brasil;

•Acesso a bibliotecas, escolas, hospitais e outros serviços públicos oferecidos por várias cidades e Estados.

Se você ainda não possui e quer obter a Carteira de Matricula Consular ligue para (617) 542-4000 para obtenção de mais informações.

Fonte: (Da redação)