Publicado em 5/02/2010 as 12:00am

Família procura brasileiro desaparecido há 10 anos em MA

O mineiro Júlio César da Silva teria entrado numa forte crise depressiva após se envolver num acidente de trabalho e perder o processo para obtenção de indenização, avaliada em $100.000

Por Marcelo Zicker


Há mais de dez anos, o mineiro Júlio César da Silva, residente de East Boston, parou de  fazer as ligações quase semanais que fazia para a sua família no Brasil. Vivendo como imigrante desde 1984 no país, ele passou anos batalhando  em diversas funções, como lavador de pratos, construção, garçom, até se firmar em uma empresa de manutenção de ar condicionado.  Em 2000, depois sofrer um acidente no trabalho e ser declarado inválido para a função, ele entrou em profunda depressão e, segundo amigos e familiares, foi se mantendo cada vez mais recluso e incomunicável.  Após anos desaparecido, a família ainda guarda esperanças de um dia rever Júlio César.

O brasileiro, natural de Resplendor – MG, tinha planos como o de qualquer imigrante na       ‘América’. “ Ele foi em busca de um futuro melhor para ele, mudar de vida, tentar recomeçar. Aprendeu o inglês, e foi mudando de empregos, até conseguir se firmar nessa firma de manutenção. Quando sofreu o acidente, caindo de uma escada ao instalar um ar condicionado, afetando-lhe os movimentos da perna direita, ele tentou resgatar o dinheiro do seguro, mas foi negado. Ele não agüentou o ‘baque’ de não ter conseguido esse dinheiro e entrou em depressão”  relata a  mãe do brasileiro, Jandira da Costa Silva,  revelando que o valor do seguro chegava a $100.000. “ Era o dinheiro que faria ele voltar para a gente. Ele só estava esperando isso para poder retornar para o Brasil. Ele ganhava muito pouco de ajuda do governo por estar inválido e aguardando processo, e não estava autorizado a trabalhar. Meu filho foi pego trabalhando e isso foi usado contra ele no processo do seguro” explica Jandira, salientando que a negativa deu início à  uma crise depressiva que terminou no seu desaparecimento.

Na tentativa de reencontrar o filho, o pai de Júlio César foi aos EUA há alguns anos, onde chegou até mesmo solicitar a ajuda do consulado de Boston. “ Eles disseram que seria uma tarefa muito difícil , principalmente pelo fato de meu irmão ser indocumentado, e por não ser fácil encontrar alguém que já teria desaparecido há muitos anos. Mesmo assim , meu pai fez o que pode para tentar se conectar com amigos e conhecidos dele, que também já tinham perdido notícias” afirma a irmã do brasileiro, Alba Valéria da Silva, que frisa que se decepcionou com os amigos do rapaz, que desde o seu desaparecimento, não ofereceram ajuda. “ Meu irmão sempre foi muito atencioso e preocupado com os seus amigos. Muitas vezes ajudou a levá-los para os EUA, fornecia sua casa, indicava empregos, ajudava como podia. Tinha um grande coração. Desde o seu desaparecimento, os amigos se foram, ninguém moveu ‘uma palha’ para encontrá-lo” desabafa Alba.

Dona Jandira ainda se lembra da última vez que falou com o filho. “ Lembro que ele estava triste, falando pouco, desanimado com a vida. No final, ainda disse que ficaria um tempo sem ligar pois estava sem dinheiro” conta, emocionada.

Júlio César completou 45 anos no dia 18 de outubro do ano passado de 2009.  Ele tem 1,70 de altura, é moreno claro, e tem cabelos pretos.  Seu último endereço de residência é o número 210, Maverk Street, apto- B1, em East Boston.  Sua família solicita que se alguém saiba do paradeiro que entre em contato imediato pelo telefone 55-xxx-(33)-3263-1713 – falar com Jandira, ou através dos celulares: 55-xxx-(33)9974-8139 (Alba) /55-xxx(33)-9963-1125 (Adriano)

Fonte: (Da redação)