Publicado em 19/02/2010 as 12:00am

Pastor se lança como opção aos brasileiros nos EUA

Decidido ser um dos representantes da comunidade brasileira nos Estados Unidos, o pastor auxiliar, Walter Mourisso, da Igreja Assembléia de Deus Águas Vivas, se apresentou para a comunidade como a mais "a opção" para os eleitores

 

Por Luciano Sodré


Decidido ser um dos representantes da comunidade brasileira nos Estados Unidos, o pastor auxiliar, Walter Mourisso, da Igreja Assembléia de Deus Águas Vivas, se apresentou para a comunidade como a mais “a opção” para os eleitores. Ele entrou para o grupo dos pré-candidatos à vaga, os quais serão escolhidos entre os dias 15 a 30 de abril. Com esta inscrição, somam-se seis candidatos por Massachusetts. Já se declararam pré-candidatos: Ilton Lisboa, Jorge Costa, Pastor Emídio, Sidney Pires e Silvério do Nascimento.

Walter entra na disputa apoiado pelos membros de sua igreja e alguns líderes religiosos. Mas ele assegurou que está de viagem marcada para a próxima semana, onde irá visitar alguns políticos brasileiros em busca de firma apoio. “Acredito que sem base e sem apoio ninguém vai a lugar algum”, fala salientando que “de nada adianta gritar, berrar, se não ir formando as estruturas por baixo”.

Nesta viagem ele pretende visitar alguns nomes respeitados no cenário político mineiro, inclusive o os deputado estaduais Zé Henrique e João Leite, com quem mantém forte contato.

Natural de Galiléia, mas criado em Conselheiro Pena, o pastor mora nos Estados Unidos desde 1994 e além de pastor evangélico, ele trabalha como pintor de carros. “Essa divisão de atividades me fez aprender como conduzir a igreja sem deixar faltar nada aos membros”, explica. “O cargo de Representante da Comunidade não irá atrapalhar meu ministério”, continua.

Pastor Walter entra na disputa e quer ser “a opção” para os eleitores. Ele pretende “correr por fora” e deixar os demais candidatos brigando entre si. “Não quero perder meu tempo com acusações. Quero aproveitar cada minuto para discutir com a comunidade o melhor caminho para trilharmos um futuro melhor”, fala.

Ele defende a tese que quem não aceita diálogos e usa  maior parte do tempo para atacar as pessoas é porque não pensa na comunidade. “Este tipo de gente vê apenas o próprio umbigo”, critica. “É preciso entender que ninguém faz nada sozinho. Precisamos dialogar e discutir idéias, mas em grupos”, continua.

Indagado quanto a um possível diálogo com os outros candidatos, Walter disse que está aberto e não descarta a possibilidade de desistir da candidatura para apoiar outro, “desde que haja interesse no bem da comunidade”. Durante a entrevista, por diversas vezes ele deixou claro que o caminho para que a comunidade brasileira ganhe forças neste país é o diálogo. “E isso nunca aconteceu. O que vejo, são os pseudo-líderes atacado mutuamente e isso acaba dividindo ainda mais a comunidade, pois cada um escolhe o seu lado”, lamenta.

Ele aponta, ainda, que faltam líderes confiantes que falem e façam o que realmente a comunidade quer e precisa. “Maioria dos que estão aí, fala, falam, são ouvidos, mas ninguém presta atenção”, afirma.

Planejamento

A plataforma de trabalho do Pastor Walter está em elaboração, pois ele pretender criá-la em parceria com a comunidade. Ele explica que não há como falar o que as pessoas precisam sem antes consultá-la. Para isso serão realizadas reuniões e pesquisas nas comunidades brasileiras em todos os Estados Unidos. “Qualquer tipo de ação não há como efetuá-la sozinho”, salienta.

DIFERENCIAL

Pastor Walter, ao contar sua história, faz questão de frisar que viveu como a maioria dos imigrantes brasileiros. “Vivi ilegal e cheguei a este país cruzando a fronteira mexicana. Não tenho vergonha de falar isso, como muitos escondem”, fala salientando que “muitos não comentam sobre isso por terem vergonha. Não viu nenhum dos demais candidatos comentarem sobre o período em que ficaram ilegais no país”.

Para defendermos uma causa é preciso vivenciá-la, sentir na pele o que um brasileiro que vive ilegalmente neste país enfrenta todos os dias. “Olhando de cima é fácil falar e oferecer ajuda e posar de protetor. Mas isso não é o bastante. É preciso estar com a comunidade, vivenciado seus reais problemas”, continua.

Campanha

A campanha de Walter começa a tomar forma na próxima semana, quando também será definido o seu suplente. Também será divulgada a agenda do candidato, bem como definido alguns pontos importantes em sua campanha. “Mas a minha plataforma se construirá com a ajuda da comunidade, o que será feito nas reuniões que participarei”, fala. Para dar dicas e sugestões ao pastor é só encaminha email para mourisso@hotmail.com

Fonte: (Da redação)