Publicado em 19/02/2010 as 12:00am

Polícia desmantela esquema de rinha de canários em MA

Segundo as autoridades, todos os moradores da casa onde foi realizada a batida eram brasileiros.

 

Um esquema da  polícia de Ashland (MA)  confiscou mais de 20 canários e aproximadamente 40 gaiolas,  em uma casa nas proximidades da cidade, na noite do sábado passado (13) . Acredita-se que os pássaros façam parte de uma grande rede de rinhas, que inclue 3 brasileiros indocumentados, segundo afirmou o Sargento Greg Fawkes, ao jornal MetroWestDailyNews.

Para o sargento, as investigações apontam para a confirmação da tese das rinhas , sendo que os animais estariam sido mantidos sob cárcere privado. Há hipótese porém, que as rinhas aconteceriam em um outro local. Na residência, foram encontradas 20 aves da raça “Saffron Finches” (Canários da terra), que são nativos da América do Sul, juntamente com 40 gaiolas especialmente desenhadas para o transporte de pássaros de briga, agirmou o sargento. Apesar das condições calamitosas as quais estavam sendo submetidos, não se verificaram danos aos animais, que pareciam saudáveis, segundo afirmou Cheryl Rudolph, oficial do Centro de Controle de Animais. Todos eles foram confiscados devem ser liberados para a adoção.

O Departamento de Polícia de Ashland, juntamente com agentes ICE, a Liga de Resgate de Animais de Boston e um tradutor do idioma português do Departamento de Polícia de Holliston efetuaram uma ação de busca na residência aproximadamente às 10:30 da manhã, disse o Chefe de Polícia Scott Rohmer. Nenhuma prisão foi efetuada durante a batida policial, somente um mandado de prisão foi expedido para um suspeito de ser o proprietário das aves. Resultado de uma investigação de de 2 semanas, a operação se deu início após um incêndio na chaminé da residência ocorrido em 28 de janeiro, conforme explica Greg. Quando a polícia e o Corpo de Bombeiros chegaram ao local, eles encontraram colchões e frigobares espalhados em vários cômodos do imóvel. “Mais de 20 pessoas ocupavam aquela casa”, disse Fawkes. “A cada lugar que você fosse, tinham colchões espalhados pelo chão. Eles transformaram a propriedade numa espécie de pensão” completa. Após o incêndio na chaminé, os bombeiros verificaram o porão. “Quando eles chegaram ao porão, se depararam com as gaiolas (e os pássaros), então, não sabiam o que fazer com aquilo”, disse Fawkes. Um policial tirou fotografias com o seu telefone celular, que foram enviadas a investigadores. Segundo as autoridades, todos os residentes da casa onde foi realizada a batida  eram brasileiros.

Após o incêndio,  a maioria dos brasileiros que viviam na casa foi embora. Confiscado por falta de pagamento, o imóvel tinha somente 6 residentes durante a batida policial.. Elas disseram que não sabiam que existiam pássaros naquela casa. “Grande parte foi embora devido à presença da polícia”, disse Fawkes, que forneceu ordens para alguns dos brasileiros comparecerem à Corte de Imigração. Na última busca no local, foram apreendidas câmeras infravermelhas instaladas próximas às portas da casa, mas ainda não se sabe as funções das mesmas dentro da casa. As investigações continuam, segundo o sargento.

Escândalo com rinha brasileira de canários ocorrida em CT

O sargento disse que contatou detetives em Shelton, Connecticut, onde a polícia prendeu 19 imigrantes brasileiros no verão passado, com o objetivo de obter mais informações sobre briga de canários. Na ocasião, aproximadamente 150 pássaros foram apreendidos. Durante a mega-operação, em um sítio próximo à cidade, foram confiscados 8 mil dólares em dinheiro. Os acusados foram presos e processados por crueldades aos animais e jogo ilegal. Na época do crime, um policial da cidade afirmou que as aves possuíam feridas nos olhos e que ficariam sob custódia do Departamento de Agricultura do Estado. Segundo o Centro Nacional de Lei da Agricultura do estado de Connecticut, quem maltratar animais pode pegar até cinco anos de cadeia e terá que pagar multa de até 5 mil dólares.

Fonte: (Da redação)