Publicado em 1/03/2010 as 12:00am

Costa Oeste apresenta pré-candidato 'único'

Mais um brasileiro se apresenta como pré-candidata a Representante da Comunidade Brasileira no Exterior. Desta, desta vez pelo Estado da Califórnia. Sérgio Mello é consultor de marketing da Riopoint

 

Por Claudia Carmo


Mais um brasileiro se apresenta como pré-candidata a Representante da Comunidade Brasileira no Exterior.  Desta, desta vez pelo Estado da Califórnia. Sérgio Mello é consultor de marketing da Riopoint, que trabalha em parcerias com non-profits na produção de eventos culturais na Costa Oeste, criando uma ponte de intercâmbio cultural entre Brasil e EUA. Ele é formado pela  PUC - Rio de Janeiro, em Comunicações  e  pela  Academy of Art University - Advertising, Computer Graphics Major.

A candidatura Sérgio Mello foi decidida em consenso pelo Conselho de Cidadãos de São Francisco para encabeçar a  disputa das eleições, por ser conhecido localmente como um agente de consenso, visão e efetividade.

Residente há 22 anos nos EUA, Sergio ‘e natural de Brasília, mas foi criado no Rio de Janeiro. No Brasil trabalhou na extinta Rede Manchete de Televisão. Atualmente trabalha com a comunidade brasileira da Costa Oeste dos EUA, enfatizando a  divulgação da cultura e apoio a entidades non-profit, como doações a fundações sem fins lucrativos locais, desenvolvimento de micro economias , integração da comunidade,  divulgação da cultura, entre outros. O candidato, que prepara o lançamento  oficial de sua candidatura, já tem como uma de suas propostas o  Plano Costa Oeste (PCO), que  é um projeto de desenvolvimento regional de longo prazo para a comunidade brasileira residente na Costa Oeste dos EUA.

Em entrevista concedida com exclusividade a equipe do Brazilian Times, Sergio Mello fala sobre sua vida e pretensões como candidato a Representante da Comunidade Brasileira no Exterior.

 

Brazilian Times- Há quanto tempo mora nos EUA e porque resolveu sair do Brasil para morar aqui?

Serio Mello – Moro nos EUA há 22 anos. Inicialmente em New York, onde meu irmão morava, depois em São Francisco. Vim para me especializar em computação gráfica, que em 1988 ainda era um campo emergente.

 

Brazilian Times – Por que você candidatou-se a Representante da Comunidade Brasileira?

Sergio Mello - Me encontro agora como candidato em função de um processo de pré-eleição único e marcante da comunidade brasileira da Baia de São Francisco.  Quando almejamos uma vaga titular no CBRE, concordamos que só a união coordenada da nossa comunidade alcançaria o objetivo. Fui buscado pelo Conselho de Cidadãos de São Francisco para encabeçar nossa candidatura, por ser conhecido localmente como um agente de consenso, visão e efetividade. Aceitei a responsabilidade sob a condição de que buscaria exatamente criar união e coerência, necessidades primordiais a nossa atual realidade. Foi quando 2 outras candidatas, a Bedy Yang e a Fatima Jury, ambas de enorme estatura e contribuição a nossa comunidade, se interessaram em concorrer também. Surgiu então um movimento democrático espontâneo, coordenado e participado por membros ativos da comunidade local. Colocando os interesses da comunidade em primeiro lugar, nós 3 pré-candidatos nos comprometemos a apoiar o maior votado desta pré-eleição.  Foi quando que todos os envolvidos - Conselho de Cidadãos, eleitores e pré-candidatos - compartilharam um senso muito positivo de colaboração, crescimento e caráter. A pré-eleição marcou um momento seminal para a Costa Oeste, que foi realmente a grande vitoriosa nisto tudo. Para nossa comunidade, esta é uma hora de profunda reflexão. O PACTO reconhece este momento como uma oportunidade com implicações extensas, e de potencial transformativo para mais de 200 mil brasileiros locais. Com humildade e respeito, aceitei a responsabilidade que me foi confiada com tanto cuidado. Pois acima de tudo, vejo a condição de união que originou minha candidatura e este movimento, não apenas permanece sólida, mas ganha substancia, força e colaboradores a cada instante. Tem certeza que com o apoio e amizade da Bedy Yang e Fátima Jury, o PACTO e a campanha ao CBRE nos trarão conquistas ainda maiores, com ou sem uma vaga titular no CBRE.

 

Brazilian Times - O que você já fez em benefício para a comunidade Brasileira?

Sérgio Mello - Desde 2005 tenho focado na divulgação da cultura e apoio a entidades non-profit: Doações a fundações sem fins lucrativos locais, desenvolvimento de micro economias , integração da comunidade, divulgação da cultura, comunicação em escala e incentivo ao auto-desenvolvimento

 

Brazilian Times - Qual é a sua profissão e formação?

Sérgio Mello - Sou consultor de marketing através da Riopoint. A Riopoint trabalha também em parcerias com non-profits na produção de eventos culturais. 1988-PUC - Rio de Janeiro, Comunicações; 1992 -  Academy of Art University - Advertising, Computer Graphics Major.

 

Brazilian Times - Quais são as suas propostas e projetos como representante da comunidade?

Sérgio Mello - Minhas propostas estão contidas em detalhe no Plano Costa Oeste (PCTO), um projeto de desenvolvimento regional de longo prazo. O PCTO é um plano abrangente, moderno e relevante, que inclui a posição e extensão geográfica da região. O PCTO é antes de tudo, um modelo de organização comunitária eficiente, focado em definir metas e executar projetos utilizando o melhor capital humano disponível. Sendo assim, o PCTO é viável independente da captura da vaga no CBRE, que certamente traria um apoio e incentivo maior e significante ao plano. A idéia chave do Plano Costa Oeste e  mobilização a  coordenação e a priorização de proposta e  isso só e possível em grupo. Idealizei o projeto e tenho colaboradores e a comunidade, que farão acontecer. O plano e para o beneficio da nossa comunidade e  a união dos  lideres para  assumir  uma  direção dos projetos comunitários de maior impacto.

O PCO é o que a Costa Oeste deve fazer para si e por si própria neste momento

O PCO visa:

1. Consolidação da agenda regional: Carta de Los Angeles e São Francisco, 'dossiês' de Portland, Seattle, Honolulu e Anchorage

2. Criação de pastas para coordenar projetos em áreas especificas. Estas Pastas são encabeçadas por líderes com domínio na área. Temos formadas as Pastas de Educação e Estudos Brasileiros, Administração, e Comunicações. Esperamos logo formar a de Serviços Sociais e Saúde, e a de Captação de Recursos.

3. Suportar no traçar de metas, planejamento e execução de projetos comunitários variados. Captar recursos e apoio político para estes projetos.

Brazilian Times - Você já tem alguma proposta, a qual vai trabalhar na sua campanha?

Sergio Mello - Nossa campanha será oficialmente lançada dentro de 10 dias com informações mais detalhadas. O que posso dizer neste momento é que estou muito feliz, que a Pasta da Educação e Estudos Brasileiros , terá um contribuinte de estatura internacional, que vem se dedicando a educação a mais de 25 anos. Peço que consultem nosso website para detalhes das propostas, pessoas e projetos que farão parte do PCO  www.PlanoCostaOeste.org

Fonte: (Da redação)