Publicado em 8/03/2010 as 12:00am

Imigrantes reclamam do declínio econômico nos EUA

Brasileiros, latinos e negros exigem transparência em projetos do governo

 

As empresas americanas cujos proprietários sejam hispânicos, brasileiros ou negros, recebem proporcionalmente menos contratos derivados do plano de estímulo econômico federal, de modo que várias pessoas estão começando a exigir do governo Obama uma inclusão mais abrangente e uma revisão urgente nas atribuições de projetos financiados pelo governo.

 

Os latinos (aí incluidos brasileiros no contexto americano), e negros são proprietários dos 6,8% e 5,2%, respectivamente, de todas as empresas nos Estados Unidos, segundo dados do censo. Apesar disso, as empresas de proprietários latinos receberam apenas 1,7% dos 46 milhões de dólares em contratos derivados do pacote federal de estímulo econômico. Os negros, ficaram com apenas 1,1%, de acordo com os contratos em arquivos oficiais.

Esta quantidade de dinheiro é apenas uma pequena fração dos 862.000 milhões de dólares da lei do estímulo econômico. Milhões de dólares foram distribuídos para os estados, que usaram o dinheiro para contratos dos próprios estados.

"Embora os estados assinalem as características dos proprietários minoritários, quando entregam os contratos às empresa, não há nenhum registro central e consistente dessa informação", de acordo com Laura Barrett, diretora da Rede de Igualdade nos Transportes.

As empresas cujos donos fazem parte da minoria, às vezes são demasiado pequenas para competir nas licitações e não têm acesso ao capital necessário, ao equipamento, ou a facilidades de crédito e financiamento. Essas empresas perdem a concorrência para outras melhor estabelecidas. Um fator contra os minoritários é que eles têm dado muita ênfase em gastar rapidamente o dinheiro do estímulo, o que favorece as empresas que ganharam contratos anteriormente e já se fizeram experientes em manejar a burocracia.

Porém, os defensores das minorias alegam que os negros, brasileiros e latinos têm sido duramente atingidos pela recessão e que, se obtiverem a sua quota dos contratos no pacote de estímulo, isso poderá ser a chave para a recuperação de suas comunidades.

O governo Obama tem tomado medidas para atender às necessidades das minorias. O Secretário dos Transportes, Ray LaHood, escreveu aos governadores, em Dezembro, para incentivá-los a colaborar com as empresas que estejam em desvantagem.

LaHood sugeriu que se fracionem as licitações maiores, para que sejam acessíveis às pequenas empresas. Ele também os convidou (aos governadores) para acompanharem de perto um projeto, no estado do Missouri, no qual foram incluidos grupos comunitários e que serve como uma introdução para seus planos de futuro.

 

Fonte: (Da redação)