Publicado em 15/03/2010 as 12:00am

MAPS oferece aulas de Teatro Físico em MA

Desde sexta-feira (12), a MAPS, em Somerville, em parceria com o ator e diretor Robson Lemos, está oferecendo aulas da nova linguagem artística

 

Desde sexta-feira (12), a MAPS, em Somerville, em parceria com o ator e diretor Robson Lemos, está oferecendo aulas da nova linguagem artística que invadiu a Europa, Brasil e agora os Estados unidos: o TEATRO FÍSICO.

Estas aulas consistem em exercícios, jogos, improvisação teatral, música envolvendo todas as áreas corporais, com motivação e estimulação das emoções.

O resultado alcançado é composto de movimentos e a expressão dos sentidos que atingem o corpo, desde os nervos até o coração. Estas aulas são recomendadas para todas as pessoas, com ou sem experiência teatral, que queiram investigar os limites corporais e exercitar o corpo com estímulos musicais e temáticos e também como método de diminuição do estresse.

Para mais informações, entrar em contato com Robson, pelo telefone (857) 249-2143.

 

Entenda o Teatro Físico

O Teatro Físico tem seu período de experimentação nos anos 60, sua consolidação nos anos 70 e 80, com o trabalho de várias companhias, entre elas o grupo de Steven Berkoff, o Theatre du Movement, o Theatre de Cumplicitè, o Theatre de Soleil e outros. A partir da década de 70, a mídia passou a classificar os grupos que traziam a característica corporal e autoral, difundida pela mímica moderna, somada com elementos do circo, da dança e do teatro experimental dos “fringes”, de Teatro Físico. Tal movimento rompe com o logocentrismo, o textocentrismo e promove uma nova forma de pensar o corpo, valoriza o ator-criador e a dramaturgia do corpo.

O termo physical theatre passou a ser conhecido no Reino Unido no começo dos anos 70 e foi lá, segundo Kershaw (1992), o primeiro lugar a empregar este termo na mídia de comunicação de massa, por meio da conhecida revista de entretenimento semanal Time Out. John Ashford, editor de teatro desta revista londrina, passou a influenciar críticos e jornalistas em outros veículos, devido à classificação publicada por ele, diferenciando o processo de criação e colocando a categoria Teatro Físico para os espetáculos onde o corpo e a voz eram centrais, o que o diferenciava de outras categorias como a de Teatro de Escritor, em que o texto é fundamental no processo artístico.

O Teatro Físico ou Mímica Contemporânea refere-se a um momento em que a arte se distancia do purismo e caminha para a somatória da mente/corpo e voz na síntese do ator-criador, que participa de todos os momentos de criação do processo artístico, assinando, muitas vezes, a autoria do texto teatral.

Fonte: (Da redação)

Top News