Publicado em 17/03/2010 as 12:00am

Brasileiros preparam-se para a Marcha do dia 21

As organizações Mira Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition, juntamente com a CTIB e Grupo Mulher Brasileira, estarão seguindo no próximo sábado, 20, em excursão para Washington DC

 

Por Cláudia Carmo


As organizações Mira Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition, juntamente com a CTIB e Grupo Mulher Brasileira, estarão seguindo no próximo sábado, 20, em excursão para Washington DC, onde acontecerá no domingo, 21, a mobilização para a reforma Imigratória. O evento faz parte da campanha nacional Reform Immigration For America com o objetivo de pressionar o governo e o congresso a aprovar uma reforma imigratória ainda este ano.

Cerca de 800 pessoas sairão de Massachusetts, em 15 ônibus fretados pela MIRA. Lideres e ativistas brasileiros de Massachusetts estarão acompanhando, coordenando e informando as pessoas sobre o que acontecerá em Washington.

O evento promete reunir milhares de imigrantes de toda parte do país em manifesto para aceleração da reforma de imigração.

 A Casa Branca já está preparada para a marcha. Na última semana, lideres imigrantes, como o Ali Noorani, ex-diretor da MIRA, se reuniu com o presidente Barack Obama e tiveram  uma  reunião positiva, inclusive informando ao Presidente sobre a passeata. Segundo a MIRA a Policia já autorizou a marcha e tudo transcorrerá normalmente.

Sue O’brian, diretora de Patrimônio da CTIB, levantou a hipótese de imigrantes indocumentados correrem o risco em comparecer ao movimento”. De acordo com uma conversa com a casa branca, uma manifestação e um privilégio de cidadãos  americanos, porem, não estarão tomando nenhuma providencia contra. A única coisa que foi me passado, seria que eles não tirariam a autoridade do ICE. Não pensem que haverá algum problema relacionado, mas não ha garantias da casa branca. Eles apóiam uma manifestação e estão de acordo que uma reforma imigratória e necessária .A minha posição e que devemos tomar cuidado, mesmo com o pensamento positivo que nada ira acontecer. Não necessariamente em WA, mas no caminho de volta também”,completa.

Já não tem mais vagas nos ônibus que sairão entre às 11 da noite, do sábado, 20, da Park Station. Lá será também o ponto de encontro para as pessoas que forem com condução própria para Washington.

Marcony  Almeida , diretor da Massachusetts Immigration and Refugees Advocacy Coalition (MIRA), está será uma ação observada pelo governo.”  Sem dúvida o governo e o congresso prestam atenção a eventos como esse porque centenas de pessoas estarão nas ruas e a imprensa dará cobertura. Esse e um ano eleitoral e governo americano e o congresso precisam ver que não estamos parados esperando a hora acontecer. Faremos essa reforma acontecer”. Marcony também acredita na possibilidade da reforma sair ainda em 2010. “Acredito que ainda existam possibilidades. Democratas e Republicanos estão em busca do voto imigrante, então eles precisam agradá-los de alguma forma, e a reforma e a melhor que existe. Sem contar que o país esta ha muito tempo necessitando de uma reforma imigratória, principalmente porque e bom economicamente também”. Para ele este tipo de movimento mostra que a participação popular pode fazer mudanças nas leis.

Segundo Márcio Porto, Presidente da Central dos Trabalhadores Imigrantes Brasileiros-CTIB, o movimento irá refletir uma avaliação completa da falta de vontade política. “Quando Obama assumiu a presidência ele tinha maior número de democratas no Congresso, tinha mais liderança e não tocou o projeto e agora sua popularidade não é mais a mesma. Ou se faz a reforma, ou quem irá migrar são os nossos votos para os republicanos”, diz. De acordo com pesquisas das organizações o número de votantes na comunidade Latina gira em torno de 10 milhões, sendo 15 mil brasileiros.

Márcio ainda levanta algumas questões muito preocupantes que estão acontecendo nas comunidades devido a falta de perspectiva dos imigrantes diante da crise econômica, falta de emprego e medo de voltar ao seu pais de origem. Na comunidade brasileira tem aumentado o número de suicídios e também o preconceito que as criança  sofrem nas escolas, por serem filhos de brasileiros ilegais.

Para Heloisa Galvão, diretora do  Grupo Mulher Brasileira, esta marcha não e só para os imigrantes. E para qualquer cidadã/cidadão consciente da necessidade de uma nova lei de imigração.” Eu mesmo tenho duas amigas americanas que estão indo. uma de Providence e outra aqui de Boston. As organizações nacionais e locais, como a Mira e o Grupo Mulher, jamais se envolveriam em um movimento deste porte se não tivessem certeza da autorização e da segurança. Querer fazer a população acreditar o contrário é  terrorismo, falta de responsabilidade e de civismo. Acho que devemos nos concentrar no evento que será da maior importância para nossa comunidade, principalmente, depois da declaração e do compromisso de Obama semana passada com relação a reforma da imigração”afirma.

Fonte: (Da redação)