Publicado em 17/03/2010 as 12:00am

'Coyote' brasileiro é preso guiando 7 imigrantes

O mato-grossense Weverton Zioto Pereira admitiu já ter trazido outros brasileiros ao país. Dentre os imigrantes pegos pela Patrulha da Fronteira estavam 5 brasileiros.

 

Um ‘coyote’ brasileiro foi preso pela Patrulha da Fronteira enquanto guiava 7 imigrantes, sendo 5 brasileiros e 2 naturais de El Salvador, para adentrar o país ilegalmente pela fronteira com o  México. O mato-grossense Weverton Zioto Pereira residiu em Massachusetts e, segundo alguns amigos do ‘coyote’, ele foi o responsável por trazer dezenas de brasileiros ao estado, de maneira ilegal, atravessando o estado do Texas.

Os patrulheiros do ICE encontraram um GPS com o brasileiro, que seria utilizado para ajudar no percurso, evitando erros e situando o grupo na caminhada. Eles tentaram dar a volta em uma blitz de inspeção, na altura da Highway 35. Utilizando uma tecnologia que identifica a movimentação humana próxima à fronteira e a postos de vigilância do ICE, os oficiais conseguiram localizar o grupo, e interceptar a viagem dos imigrantes. Eles já teriam atravessado a divisa entre os dois países.

Weverton também estava de posse de uma celular para se comunicar com a pessoa que estaria esperando os brasileiros de carro, próximo ao local da captura. Ao ser questionado, o mato-grossense assumiu que já tinha guiado vários outros imigrantes ao longo da fronteira anteriormente.

Bastante conhecido pelos mato-grossenses de Massachusetts, ele foi responsável por trazer muitos conterrâneos que hoje residem no estado. É o caso de Jucimar Pereira, que há 3 anos foi trazido pelo ‘coyote’ para iniciar sua trajetória no país. “ Ele me trouxe juntamente com meu irmão, passando pelo Texas. Ele disse que já tinha trazido muita gente do Mato-Grosso e levado para Massachusetts, então terminamos a viagem vindo para cá” afirma Jucimar, que trabalha com construção e reside em Somerville – MA. Ainda perplexo com a notícia da prisão, ele disse que já esperava que um dia isso fosse acontecer. “Já tinha muita gente comentando sobre o fato de ele ser ‘coyote’ e até carta de deportação ele tinha por problemas com Côrte. Era uma questão de tempo para ele ser pego” completa ele, que vive num prédio situado na região de East Somerville, onde residem muitos mato-grossenses que foram trazidos por Weverton.

Entre os brasileiros que já utilizaram Weverton como guia para a travessia da fronteira, também está a jovem Cibeli Trancoso, que afirma guardar recordações de medo, fome e de pânico durante  seu percurso ao lado do ‘coyote’. “ Ele falava que se alguém se perdesse  ou passasse mal não era problema dele. Foi uma viagem muito longa e cansativa, achei que ia morrer. Quando ‘passamos’ pros  EUA, e entramos no carro, eu senti o maior alívio da minha vida” afirma ela. Segundo Cibeli, o valor de $300 por pessoa que ‘coyote’ afirmou ter cobrado dos brasileiros não é verdadeiro, exemplicando o próprio caso, no qual demorou mais de um ano para pagar os $13.000 cobrados pelo ‘coyote’. “ Logo que cheguei, comecei a trabalhar quase 90 horas por semana, em cozinha de restaurantes e limpando supermercados de madrugada. Ele me cobrou juros em cima da dívida, então praticamente trabalhei um ano inteiro somente para pagá-lo.

Weverton Zioto Pereira deverá ter a primeira audiência marcada em breve, onde enfrentará acusações criminais e de violação nas leis de imigração

Fonte: (Da redação)