Publicado em 19/04/2010 as 12:00am

Brasileiro vive há mais de 100 anos nos Estados Unidos

Natural de Vitória, no Espírito Santo, Bernando La Palla, filho de um brasileiro com uma norte-americana, deixou ainda criança o Brasil e veio morar em New York, junto com sua família.

 

Com 108 anos de idade, Bernando nasceu no Brasil e, ainda criança, se mudou para a terra do Tio Sam

Natural de Vitória, no Espírito Santo, Bernando La Palla, filho de um brasileiro com uma norte-americana, deixou ainda criança o Brasil e veio morar em New York, junto com sua família.  Ele já escreveu dois livros sobre os cuidados que devemos ter com a nossa saúde.

Os livros escritos por ele abordam temas como viver bem. Bernando também ministra palestras sobre o assunto e orienta as pessoas sobre uma boa alimentação.

Ele mora no Arizona, estado que se tornou palco de uma polêmica lei anti-imigrante, e por causa da sua boa forma física e saúde invejável, acabou se tornando consultor de nutrição e nas palestras, ministra a “receita da lengevidade”.

Bernando vive nos Estados Unidos há mais de 100 anos e garante que o próximo desafio a ser vencido será o de “voltar a falar português”, idioma que ele esqueceu devido a tanto tempo longe do Brasil. Ele ressalta que o fato de ser brasileiro o ajudou durante o período de maior racismo nos Estados Unidos. “Eu fui proibido de entrar em uma praia pelo fato de ser negro, mas acabou convencendo o policial após falar que era brasileiro”, fala.

Para manter uma boa saúde ele garante que se alimenta apenas de frutas, vegetais e sucos. Bernando falou ainda sobre um suco verde feito a base de maçã, couve e ervas. “Também me alimento de sopa de cereais”, fala ressaltando que não come carne vermelha.

Bernando caminha todos os dias e brinca que é o exercício mais barato e faz muito bem para a saúde. “Caminhei minha vida inteira”, fala. Ele nunca pegou gripe e nem usou remédios e para combater as rugas, o brasileiro revela que esfrega azeite extra-virgem pela pele, pelo menos duas vezes por dia.

Fonte: (fonte: www.avozdoimigrante.com)