Publicado em 21/04/2010 as 12:00am

Embaixador Gradilone confirma mudança de data

Em entrevista exclusiva ao jornal Brazilian Times, o Embaixador, Eduardo Gradilone, falou sobre os detalhes da palestra que aconteceu durante o Focus Brasil 2010, na Florida e sobre as eleições para Representante da Comunidade Brasileira no Exterior.

 

Por Claudia Carmo


Em entrevista exclusiva ao jornal Brazilian Times, o Embaixador, Eduardo Gradilone, falou sobre os detalhes da palestra que aconteceu durante o Focus Brasil 2010, na Florida e sobre as eleições para Representante da Comunidade Brasileira no Exterior.

Os Embaxadores Otto Agripino Maia e Eduardo Gradilone estiveram no Focus Brasil 2010, que aconteceu em Fort Lauderdale, FL, nos dias 15 e 16 de abril. Durante o evento as declarações dos Embaixadores sobre as eleições para Representante da Comunidade Brasileira no Exterior não foram esclarecedoras e deixou duvidas em relação ao que já havia sido divulgado em ata, a qual ficou definida no encontro “Brasileiros no Mundo”.

Na previsão divulgada pelo Itamaraty, as eleições deveriam acontecer na segunda quinzena de Maio. Mas conforme o Embaixador Eduardo Gradilone, a data exata das eleições não ficou definida. “Não temos uma data exata para as eleições. No encontro houve uma previsão, mas não uma data determinada. Temos que fazer um processo licitatório para escolher a empresa que ficará responsável pelo processo eleitoral. As medidas de decreto de institucionalização estão em curso na presidência”, disse.

A lista oficial do TER, com números de eleitores será finalizada e depois enviada ao Itamaraty até o final de Maio e incorporada no sistema. “É provável que em Maio tenhamos todas as regras definidas para as eleições, dependendo de tudo que for aprovado, tão logo, tenhamos a lista da Justiça Eleitoral e dos consulados com os cadastros dos brasileiros”, continua.

Diante da informação de adiamento das eleições, Eduardo Gradilone diz que “pensávamos que seria em maio, mas tudo tem que ser feito com ordem e existem fatores a ser definidos antes de marcar uma data especifica”. Quanto à divulgação de novas informações sobre as eleições, o Embaixador afirma que “só será possível divulgar quando sair o decreto o que pode acontecer a qualquer momento.

No evento realizado na Flórida estavam presentes os pré-candidatos a Representante, o pastor Silair Almeida (Florida), Francisco Sampa (New Jersey) e a diretora do Grupo Mulher Brasileira, Heloisa Galvão (Massachusetts) e o diretor de pesquisas de Boston Álvaro Lima (Massachusetts). Eles se reuniram com os Embaixadores Otto Agripino Maia e Eduardo Gradilone, após o evento, para esclarecer algumas dúvidas sobre as eleições.

Entrevistado, por telefone, o pastor Silair afirmou que mesmo sem data definida, as eleições serão realizadas. “Acredito que até o final de maio será definido o período deste processo.  Estas eleições são  de interesse do Itamaraty. Como ex membro do conselho, posso afirmar que existe muita seriedade por parte do governo para fazer as eleições ainda neste semestre”, diz lembrando ainda que as funções do conselho  não mudam.

O conselho será consultivo e não deliberativo e não será remunerado. O conselho não terá verba própria do tesouro, para distribuir com a comunidade. Ele alerta ainda para ter cuidado com as promessas que não procedem.

O Canadá terá uma vaga garantida se seu o candidato ficar entre os 12 mais votados. Os 4 mais votados farão parte do conselho, e outros 4 serão os suplentes. “Em minha opinião, como ex-membro do conselho, temos que ter muito cuidado para não bater de frente com o governo, pois estamos pisando em bases frágeis e não consolidada. Não temos um conselho institucionalizado ainda. não temos uma conferencia institucionalizada ainda. O decreto da institucionalização está no gabinete civil e este é nosso maior desafio agora. Este desafio deve ser nossa prioridade. Uma licitação depois de editada demora cerca de 30 dias para sair”, afirma.

Francisco Sampa, pré-candidato pelo estado de New Jersey, apesar das indefinições as eleições irão acontecer. Sobre a informação de adiar as eleições Francisco ressalta, “desconheço esse adiamento mesmo por que, como se pode adiar algo que não tinha data e  hora marcada. Um jogo sem regras direitos e deveres pré estabelecidos, ate o presente momento.Foi exatamente isso que indaguei aos  diplomatas  presentes”, Francisco diz ainda que essa falta de informação “é um caso lamentável de desorganização, pois ninguém sabe nada de nada.... mil perguntas  e bocas  fechadas sem respostas. E esperar e pagar pra ver  como  será   a definição  do processo”, acrescentou”.

Heloisa Galvão, diretora do Grupo Mulher Brasileira, que também participou da reunião disse que “não ouvi os embaixadores Gradilone e Agripino Maia falarem em adiamento. Mas para mim está claro que será bem difícil manter as eleições para Maio devido ao processo de licitação que precisa ser feito. Alem disso, sem a assinatura e publicação de Decreto presidencial institucionalizando a Conferencia, as eleições não teriam validade,  por que como fazer eleição para algo que não existe legalmente? Acho porem que o MRE esta empenhado em manter o processo, só que a data inicial de maio talvez não possa ser mantida”.  

 

Fonte: (Da redação)