Publicado em 23/04/2010 as 12:00am

'Só estou afastado, não fui expulso da Igreja' diz pastor Elimar Gomes

Uma série de acusações de assédio sexual contra o Pastor Elimar Gomes, da Assembly of God Fellowship / Ministério de Madureira em Everett, chocou a comunidade evangélica local

No começo do mês, uma série de acusações de assédio sexual contra o Pastor Elimar Gomes, da Assembly of God Fellowship /  Ministério de Madureira em Everett, chocou a comunidade evangélica local, e gerou o afastamento do pastor da instituição, bem como da CONAMAD, entidade que reúne as igrejas da mesma convenção nos EUA.

Segundo já divulgado, no dia 5 de abril pelo menos cinco mulheres  denunciaram os abusos, sendo que uma delas confidenciou a um dos obreiros da igreja. As acusações chegaram ao conhecimento dos pastores , que consultaram Elimar.

De acordo com informações da própria entidade, o pastor confessou ser culpado das acusações, inclusive pedindo perdão pelo ocorrido. Para esclarecer o episódio, que até agora se manteve no âmbito interno da igreja, a equipe de reportagem do Brazilian Times conseguiu contatar o pastor Elimar Gomes, que atualmente se encontra viajando para a Flórida, onde acompanha as esposa, que também ministra cultos. Segundo ele, o assunto foi discutido com os diretores da instituição, e por enquanto ele está realmente afastado da posição. “ Decidimos que seria melhor eu sair por tempo indeterminado,  para esclarecer melhor as coisas. O que foi divulgado até agora afirma que fui expulso da CONAMAD, e da própria igreja, o que não é verdade. Fui suspenso de minhas atividades, mas não fui expulso da Igreja” relata o pastor, revelando que planeja retornar ao ministério, e se esquivando da pergunta sobre a responsabilidade nos casos. Surpreso com a ligação da nossa equipe, ele não esteve disponível para se pronunciar sobre as relações com os pastores, e como vai se dar a apuração do caso, bem como a relação que mantinha com as fiéis.

 ‘ O fato de ser irmão é secundário, temos que zelar pela palavra do evangelho’ afirma irmão que assumiu cargo de Elimar

Procurado pelo BT para opinar acerca do escândalo, o pastor Marlenício Gomes, que é irmão de Elimar, afirma que o caso ainda está sendo analisado pelo conselho diretivo da entidade, afim de se decidir se o caso será levado às autoridades policiais ou não, realizando uma ampla sindicância. “ Estamos trabalhando internamente, e não temos, até o momento, um posicionamento oficial do que será realizado após o afastamento do pastor.  O corpo de membros da igreja está tentar esclarecer isso, e assim que tivermos uma posição vamos externar para a mídia, a nossa decisão”  afirma Marlenício, que faz questão de ressaltar que o fato de ser irmão do acusado, não influi na gravidade das acusações. “ A postura de irmão é secundária, estamos trabalhando para que a palavra do evangelho prevaleça. Não tenho como negar que estou muito triste, mas estamos aqui para zelar por aquilo que a bíblia diz – ‘o bispo tem que ser irrepreensível e prezar pelo mandato que Jesus nos deu’. Foi um caso onde se feriu o decoro eclesiástico, e a medida para esse caso é o afastamento do ministério” completa, salientando que qualquer outra informação não deverá ser divulgada até que se apure com calma as acusações.

Um dos membros da igreja, que falou ao BT, afirma que as investigações não tem prazo para terminar, quando as medidas cabíveis vão ser anunciadas. Por enquanto, o pastor continua afastado do cargo.

Fonte: (ABTN - Agência de Notícias Brazilian Times)