Publicado em 9/06/2010 as 12:00am

Gay brasileiro consegue visto para viver com marido nos EUA

Eles receberam ajuda do senador John F. Kerry, de Massachusetts, e foi liberado um visto humanitário

Casados desde 2005, após a legalização de casamentos do mesmo sexo em Massachusetts, o publicitário Tim Coco e o brasileiro Genésio Oliveira estavam separados havia três anos. Durante este período, os dois se comunicavam via internet e lutavam na justiça para conseguir o visto para o brasileiro poder viver novamente com o norte-americano.

Na quarta-feira (02) ele chegou a Boston sob um clima de muita emoção e no aeroporto internacional Logan foi recebido pelo publicitário. Esse reencontro foi possível graças ao empenho do senador John F. Jerry (ex-presidenciável) para conseguir a liberação de um visto para o brasileiro. O político manteve uma intensa conversa com a chefe de segurança nacional, Janet Napolitano, a qual concedeu um visto de apenas um ano para o Genésio. “Estamos muito felizes. Não há palavras que possam expressar este sentimento”, disse o Tim, que é dono de uma agência de publicidade.

O senador elogiou a perseverança do casal que conseguiu, durante três anos, manter acessa a chama do amor entre eles. “São duas pessoas que se amam que foram separadas por uma lei criada por homens”, disse Kerry, que também se emocionou com a conquista. “Também agradeço a Napolitano e ao procurador-geral Eric Holder, pois ambos contribuíram para corrigir este erro a tempo”, acrescentou salientando que a lei precisa mudar e proporcionar à gays e lésbicas o direito de patrocinar seus cônjuges em processos de legalização.

O brasileiro conseguiu um visto humanitário, o qual é liberado anualmente para cerca de 350 pessoas. O tempo de permanência é de apenas um ano, mas Tim disse que a segunda luta será conseguir o asilo para Genésio. “O visto, mesmo de apenas um ano, foi a primeira conquista e tenho certeza de que conseguiremos viver juntos para sempre”, afirmou.

Depois do reencontro os dois foram comemorar com parentes e amigos. O Brasileiro disse que quer retomar sua vida normal e fazer os cursos de artes que foi obrigado a interromper depois da separação. Eles viverão juntos em Haverhill, no estado de Massachusetts, onde o norte-americano tem uma casa.

Entre os argumentos utilizados por Kerry na defesa do brasileiro, está que ele sofreu de injustiça tanto aqui quanto no Brasil. Segundo o senador, os Estados Unidos não deveriam ter negado o pedido de asilo a Genésio, em 2002, quando ele alegou ter sido estuprado no Brasil por um médico, quando ainda tinha 16 anos de idade. “Infelizmente um juiz de Imigração, mesmo tendo provas da veracidade da história, negou o pedio, alegando que o brasileiro retornou duas vezes para o Brasil e nada aconteceu com ele”, explicou o político.

Depois do pedido negado, o brasileiro foi obrigado a retornar para o Brasil em 2007 e ficou separado do marido até quarta-feira passada.

 

Violência

Embora o Brasil reconheça o casamento entre pessoas do mesmo sexo para fins de imigração, a violência ainda é grande e o preconceito maior. Mais de 100 homossexuais foram assassinados no ano passado.

Fonte: (Da redação)