Publicado em 23/06/2010 as 12:00am

FBI prende brasileiro que vendia habilitações em Washington

O brasileiro Rodrigo Moura, foi preso durante as operações, acusado de ser um dos 'cabeças' do esquema fraudulento, juntamente com uma funcionária do Motor Vehicles no estado, Melanie Yoder.

Investigadores federais do FBI em Seattle-WA,  dizem ter desmantelado um esquema fraudulento de fornecimento da ID’s e driver’s license, que alegadamente eram fornecidos para imigrantes indocumentados do estado. O brasileiro Rodrigo Moura, foi preso durante as operações, acusado de ser um dos ‘cabeças’ do esquema fraudulento, juntamente com uma funcionária do Motor Vehicles no estado, Melanie Yoder.

Ambos foram presos na última sexta – feira (18). Investigadores disseram que Rodrigo cobrava $3.000 por cada habilitação falsa ou ID. Melanie alegou receber $500 de cada concessão. Agentes da ação revelaram terem recebido a ajuda de um informante, que também é um imigrante indocumentado, e que revelou detalhes do esquema para o FBI. Ele citou Rodrigo como sendo um dos mais ativos fraudadores da região, tendo fornecido não apenas centenas, mas milhares de carteiras de habilitação de forma ilegítima. O indocumentado trocou as informações por um visto de trabalho, com duração de um ano nos EUA.

O estado de Washington não requere provas de legalidade no país para emissão de habilitação , mas exige prova de residência. Esse critério era ignorado no momento da concessão do documento pelos fraudadores.

Segundo detalhes do processo,o brasileiro realizava toda a operação para obtenção do documento, buscando os aplicantes no aeroporto e levando eles a um hotel na cidade. Ele fornecia um endereço para ser utilizado na aplicação e as respostas para o teste escrito. Além disso, ele se encarregava de enviá-los aos cuidados de Melanie no escritório de Bellevue. Os documentos eram enviados para os endereços combinados e depois despachados para os aplicantes.

Somente em junho de 2009, a quadrilha emitiu 45 habilitações de Washington para pessoas que eles disseram serem imigrantes brasileiros. O FBI contratou um imigrante mexicano legal no país, para flagrar o esquema, gravando os procedimentos. Nas gravações, a americana aparece perguntando aos brasileiros se eles fazem parte do esquema. “ Vocês estão com o Rodrigo ?” pergunta ela, a um dos aplicantes. Ela então alertou o brasileiro para voltar no dia seguinte, quando ela poderia cuidar de todo o processo, sem intervenção de outras atendentes.

Quando atendeu o informante mexicano, ela utilizou o celular para falar com o brasileiro, irritada pela falta de autenticidade de alguns documentos fornecidos pelo imigrante. Após o documento ter sido concedido, o informante foi visto com Rodrigo num estacionamento, dando o dinheiro combinado no esquema.

Segundo um porta-voz do Motor Vehicles Departament, Tony Sermonti, a americana já foi devidamente afastada do seu cargo. Ela trabalhava no departamento desde 2007. “ Nós adotamos a política da tolerância zero para qualquer atividade ilegal ou criminal na nossa agência. Quando procedimentos como esse são descobertos, nós atuamos em conjunto com as autoridades para ajudar no procedimento criminal” afirmou ele, em comunicado.

O crime de formação de quadrilha, para produção de documentação fraudulenta pode ser punido com até 15 anos de prisão e uma multa de $250,000.  

Fonte: (Da redação)