Publicado em 14/07/2010 as 12:00am

'Pé inchados' causam transtornos em parque de Somerville/MA

Nós últimos meses ficou mais complicado fazer um programa familiar no Foss Park, em Somerville-Massachusetts. Isso porque o número de pessoas embriagadas frequentando o local praticamente triplicou

 

Nós últimos meses ficou mais complicado fazer um programa familiar no Foss Park, em Somerville-Massachusetts. Isso porque o número de pessoas embriagadas frequentando o local praticamente triplicou. Desta forma algumas famílias estão escolhendo outra opção para passar um fim de tarde ou final de semana. Mas pelo que tudo indica, o problema já começa a ser visto com outros olhos pela polícia da cidade e estadual.

No final da tarde de segunda-feira (12), quatro viaturas policiais, um carro do corpo de bombeiros e duas ambulâncias foram ao local atender uma ocorrência de que um grupo de hispanos estaria ingerindo bebida alcoólica no local. Aproximadamente 10 pessoas estavam completamente embriagadas, e algumas delas não conseguiam nem levantar do chão.

Pelo duas pessoas foram levadas, de ambulância para serem atendidas no hospital da cidade e o restante a polícia liberou mediante o surgimento de pessoas que ficassem responsáveis por eles. Mesmo solucionando o problema deste dia, a polícia sabe que isso é uma questão que deve ser levantada pelas autoridades, pois todos os dias grupinhos se reúnem para ingerirem álcool no local.

Mas o que mais incomoda as pessoas que frequentam o parque não é a bebedeira desenfreada promovida pelos grupos e “sim o fato dos bêbados ficarem abordando quem passa perto e pedindo dinheiro para manter o vício”. Foi o que relatou a dona de casa Valéria Valente, 28 anos.

Ela disse que por duas vezes já foi abordada por um mesmo bêbado, o qual lhe pediu uma moeda de vinte e cinco centavos. “Eu disse que não tinha, mas ele deu uma volta e retornou novamente pedindo o dinheiro”, fala ressaltando que ficou com medo do “pé inchado fazer algo com o seu bebê e saiu do local”.

Da mesma maneira pensam muitas mães que frequentam o parque, principalmente durante o verão. Analice de Pádua, 24 anos, mora ao lado do Foss Park e disse que da janela da cozinha de seu apartamento ela vê que os grupos de alcoólatras se formam ainda no iniciar da manhã e não são apenas de hispanos. Segundo ela, muitos brasileiros também fazem parte deste grupo de “pé inchados”.

Ela relatou que já presenciou, de longe, um hispano pedir dinheiro em quatro idiomas (português, inglês, espanhol e caboclo). “Acredito que eles aprenderam como fazer isso devido a diversidade de culturas e pessoas de outros países que frequentam o local”, ressalta.

Entre as respostas mais comuns ditas pelos “pé inchados”, a mais ouvida é que o problema do alcoolismo teve início devido ao desemprego e solidão. Valéria levanta a questão de que as entidades deveriam olhar com mais carinho este tipo de problema e formar grupos para visitarem o parque e tentar ajudar os “embriagados”.

Analice acrescenta que não é apenas o local que fica prejudicado pela presença destes grupos de alcoólatras, mas a imagem da comunidade imigrante. “É preciso fazer algo antes que o problema aumente”, finaliza.

Fonte: (Da redação)