Publicado em 14/07/2010 as 12:00am

Vereador de Boston sofre ameaças por defender imigrantes

O vereador de Boston , Felix Arroyo, apresentou uma resolução, em Maio, que pedia a quebra de contratos comerciais da cidade com empresas oriundas do Arizona

 

Por Marcelo Zicker


Em maio desse ano, o Boston City Council aprovou uma resolução que foca na redução dos laços económicos com o Arizona, pedindo o fim dos contratos da cidade com empresas oriundas do estado, utilizando como justificativa  a discordância com a lei SB1070, aprovada no Arizona, e que torna a indocumentação um crime no estado. Liderando a iniciativa, o vereador Felix Arroyo se tornou desde então, vítima de ameaças e ligações raivosas de críticos e contrários à sua proposta. 

“Nós apenas demonstramos nosso descontentamento com a lei aprovada no Arizona, que na minha opinião, pode sim, fomentar a discriminação racial e étnica no estado, algo que fere os direitos civis dos cidadãos” afirmou Felix, ao ser procurado pela nossa equipe de reportagem. “Propomos então esse boicote, que tenta pressionar o meio empresarial a não dar suporte a iniciativas como essa”completa.

Sobre a repercussão da sua proposta, ele afirma que entre os seus colegas, houve apoio tanto quanto oposição à medida. “ Alguns apoiaram, outros não. O que mais me surpreendeu foram as muitas ligações de pessoas raivosas, com mensagens anti-imigrantes, e que me agrediam de forma inapropriada. Algumas até diziam que eu deveria ‘voltar para onde eu vim’” revela Felix, que nasceu em Boston, mas é filho do político de descendência porto-riquenha, Felix D. Arroyo.

Em meio ao clima de animosidade, Felix preferiu não participar dos protestos que marcaram o National Governors Association Conference, ocorrida em Boston, no último fim de semana. “ Tive um jogo de baseball para comparecer no dia, e não pude comparecer”justificou ele, que disse a um jornal local que não concordava com algumas expressões utilizadas no protesto contra a presença governadora do Arizona, Jan Brewer, ao evento, como ‘intolerante’ e ‘racista’.

A lei do Arizona, que entra em vigor no dia 28 de julho, orienta policiais a perguntar sobre  status migratório de pessoas que ‘aparentam ser imigrantes’. A iniciativa gerou protestos em todo o país,  argumentando que ela poderia resultar em discriminação racial e violar os direitos civis. A governadora Brewer, afirmou à época da assinatura da proposta, que a ociosidade do governo federal com relação ao assunto a levou a tomar a apoiar o projeto.

Fonte: (Da redação)