Publicado em 19/07/2010 as 12:00am

Candidato ao governo de MA afirma que apóia lei do Arizona

Ele ainda disse que 'sente muito' por emenda anti-imigrante não ter sido incluída no orçamento do estado

O candidato republicano ao governo de Massachusetts, Charlie Baker, disse na última semana que ele não culpa o Arizona por atuar com uma política de contenção da imigração indocumentada no estado, iniciativa que tem espalhado controvérsia ao longo do país. Segundo ele, o estado tomou a medida certa, levando em consideração que o governo federal se manteve inativo no tema.

“O Arizona é um estado de fronteira, e tem que conviver com a política falha do governo federal em fortalecer as nossas divisas. Eu não culpo o Arizona por atuar nesse problema diretamente, porque eu sinto que o presidente não deixou muita escolha para eles” opinou Baker. Ele também expressou suporte à uma emenda orçamentária no senado de Massachusetts que também focava em combater os indocumentados. A medida foi retirada da versão final do orçamento durante uma recente conferência entre Senado e Câmara do estado. “ O senado realizou uma prévia de reforma imigratória com essa emenda e eu sinto muito que  o governador não apoiou essas medidas, embora não esteja surpreso. É uma vergonha” opinou, deixando claro a sua oposição com relação aos imigrantes no estado.  “ Esses tipos de reformas são um desejo da vasta maioria dos residentes de Massachusetts, votantes e pagadores de impostos. Nisso, eles mereciam mais respeito” completou.

A lei SB1070 do Arizona, é considerada a mais dura legislação promulgada no país em combate à imigração ilegal. Assinada em Abril, ele requere que autoridades locais e estaduais questionem o status migratório de pessoas que ‘aparentem ser imigrantes’. A justiça federal, sob apoio do presidente Barack Obama, entrou com um recurso pedindo a suspensão da lei.

A emenda retirada do  orçamento de Massachusetts criaria restrições ao estado na contratação de empresas terceiras que tenham funcionários em situação ilegal no país, penalidades mais duras contra pessoas que praticarem algum tipo de falsificação de documentos, comprovação de legalidade na aplicação para serviços públicos de saúde e moradia, além de ter  explicitamente proíbido a concessão de in-state  tuition para estudantes sem papéis.

Os depoimentos do candidato foram  realizados durante uma ‘chat’ online promovido pelo jornal The Boston Globe.  Ele disputa a cadeira de governador com o democrata Deval Patrick,  o independente Tim Cahill e Jill Stein pelo Green Rainbow Party.

Fonte: (Da redação)