Publicado em 30/07/2010 as 12:00am

NY tem primeiro pré-candidato a Representante

O estado de Nova York tem seu primeiro pré-candidato oficial para disputar a candidatura a Representante da Comunidade Brasileira.

 

Por Claudia Carmo

O estado de Nova York tem seu primeiro pré-candidato  oficial para disputar a  candidatura a  Representante da Comunidade Brasileira.

Ricardo B. Braxtor e natural de SãoPaulo capital e mora há 25 anos nos EUA. Desde sua chegada Ricardo dedica-se a fazer trabalhos em prol da comunidade. Fundou o Brazilian Civic Center , em Nova York, onde é presidente e desenvolve trabalhos de prestação de serviços , em diversas áreas,  com os brasileiros. Professor por formação na Universidade em Michigan, Ricardo luta pela  conscientização educacional da comunidade.

Em entrevista ao Brazilian Times,  Ricardo B. Braxtor  fala sobre sua historia e suas propostas se for eleito Representante da Comunidade nos EUA.

 

Brazilian Times Há quanto tempo mora nos EUA e porque resolveu sair do Brasil para morar aqui?

Ricardo Braxtor - Moro nos EUA há 25 anos, sempre no estado de New York, ou New Jersey. Eu  apenas morei em  Michigan- IL , quando eu estava cursando a Universidade.

Brazilian Times - Por que você se candidatou a Representante da Comunidade Brasileira?

 Ricardo Braxtor - Existem vários motivos para que eu acredite nesta candidatura, em primeiro lugar por  estar trabalhando com a comunidade  todos estes anos,  e ser frustrante,  não poder fazer mais por estar do "lado de fora" de onde as decisões são feitas. Em segundo lugar, sempre foi nosso objetivo ser uma ponte entre as nossas entidades governamentais e o povo em geral, não somente para mostrar as nossas necessidades, como também, para mostrar a nossa comunidade, as dificuldades e interesse do Consulado por nós. Em terceiro lugar, eu poderia dizer que muitos dos nossos planos de trabalho dependem de estarmos mais ligados e ser representantes do nossa governo frente as organizações governamentais americanas e assim participar melhor da sociedade em que vivemos.

 

Brazilian Times - O que você já fez em benefício da comunidade Brasileira?

Ricardo Braxtor - Bom, quando falo, eu, quero dizer todos nós do Civic Center, não poderia dizer que tenho feito nada ,que já fizemos , sem a colaboração de toda a nossa equipe e até mesmo da nossa comunidade brasileira de Westchester e arredores. Mas temos conseguido ter um papel mais proeminente na nossa sociedade , como por exemplo,  a contratação de policiais na força de Mount Vernon e trabalhos de conscientização com policiais e cumpridores da lei. Temos feito um grande esforço para que os brasileiros sejam bem aceitos pelo nosso governo e evitar situações horríveis como estamos vendo  no Arizona.

 

Brazilian Times - Qual é a sua profissão e formação?

Ricardo Braxtor -  Eu sou professor de formação, e talvez por isso mesmo,  tenha essa maneira de estar sempre lutando pela conscientização educacional de nossa comunidade, ensinar a ser um cidadão em uma  terra diferente da nossa tem sido a minha profissão de vida.

 

Brazilian Times - Quais são as suas propostas e projetos como representante da comunidade?

Ricardo Braxtor - Como disse, temos muitos projetos, sempre na área de melhor ajuste de nossa comunidade com as entidades governamentais brasileiras e americanas. Fazer que nosso povo seja bem ajustado e saiba seus direitos e obrigações.

 

Brazilian Times - Você já tem alguma proposta, a qual vai trabalhar na sua campanha?

Ricardo Braxtor - Sim, vamos trabalhar na idéia de que juntos podemos ser um força para conseguirmos coisas, que estamos reivindicando a muito tempo, como por exemplo, um melhor entendimento entre as necessidades da nossa comunidade e dos trabalhos disponíveis nos consulados, mais horários de atendimento, mais flexibilidade e informação para se obter os serviços consulares, repatriamento dos brasileiros que voltam pro Brasil,  mais  força de voto nas Eleições do Brasil no Exterior. Por outro lado, também queremos trabalhar muito com a idéia de fazer com a nossa comunidade se conscientize do seu papel político e social, e participe mais deste processo, tanto aqui, como lá no Brasil.

Fonte: (Da redação)